Moradora de rua que teve 70% do corpo queimado morre no ES

A moradora de rua Marinalva da Silva Alves, de 64 anos, queteve 70% do corpo queimado por um adolescente morreu na noite de ontem, segundo informou o hospital Dório Silva, na Serra (região metropolitana de Vitória). O crime aconteceu na madrugada de quinta-feira (15), em Linhares (146 km de Vitória). O suspeito chegou a ser detido, mas já está em liberdade.

O corpo foi encaminhado para o Departamento Médico Legal de Vitória para a realização da necrópsia. Os familiares de Alves já estão em Vitória para fazer a liberação do corpo.

O velório acontecerá no Complexo Esportivo do bairro Aviso e o sepultamento será às 16h deste sábado no Cemitério São José, no bairro Interlagos, em Linhares.

O jovem de 16 anos foi detido logo após o crime e confessou à polícia ter ateado fogo em quatro moradores de rua. Na tarde de ontem, o Ministério Público Estadual determinou que o adolescente fosse liberado.

O delegado Fabrício Lima, chefe do Departamento de Polícia Judiciária de Linhares, afirmou que o rapaz usava a quadra para consumir maconha e cocaína e que, segundo seu advogado, não estava em seu “juízo perfeito” naquele momento.

Folha não conseguiu falar com o advogado do adolescente.

De acordo com o delegado Bruno Taufner Zanotti, do Departamento de Polícia Judiciária de Linhares, a investigação será conduzida pelo Ministério Público Estadual e pelo Poder Judiciário. Segundo ele, o adolescente que fora apreendido por fato análogo ao crime de tentativa de homicídio, deve responder, agora, por tentativa de homicídio com a morte de Alves.

De acordo com a Promotoria, uma investigação vai definir se houve intenção do adolescente de queimar a mulher. Em nota, o Ministério Público afirmou que “em princípio, os depoimentos de testemunhas demonstram que não houve intenção por parte do menor em praticar o ato infracional”.

CRIME

O crime aconteceu na madrugada de quinta-feira (15). O adolescente de 16 anos teria entrado em uma quadra de esportes abandonada, no bairro Aviso, quando ateou fogo nos colchões de moradores de rua com um isqueiro.

Marinalva, que dormia em um colchão de espuma, próximo à quadra, teve 70% do corpo queimado. Segundo o delegado Fabrício Lucindo Lima, Alves estava embriagada e por isso não conseguiu fugir.

Outros moradores de rua estavam no local, mas conseguiram escapar.

Segundo o delegado Lima, o adolescente, de uma família de classe média, foi apreendido logo após o crime. Ele mora a cerca de 500 metros da quadra de esportes. O jovem disse que os moradores de rua estavam usando a quadra de esportes, próxima à sua casa, como banheiro, e que por isso ateou fogo neles.

Na tarde de sexta-feira (16), o jovem foi encaminhado para o Ministério Público Estadual que determinou a liberação imediata do adolescente. De acordo com o Ministério Público Estadual, o estudante foi liberado por ser menor de idade e ter residência fixa. “A reintegração à família foi determinada diante da confirmação de domicílio fixo e comprovação de que o menor é estudante”, diz o órgão.

Fonte: Da Folha.com

Sobre o editor

Willames Costa
Wíllames Costa
Editor

Instagram

Parceiros do blog