MPPE pede aumento de pena e prisão para padre condenado por exploração sexual

Quase cinco meses após a condenação de Evandro Bezerra dos Santos, 43 anos, ex-pároco do município de Cabrobó, no Sertão, o Ministério Público de Pernambuco (MPPE) ingressou com recurso no Tribunal de Justiça para pedir que a pena de dois anos por crime de exploração sexual de adolescentes seja dobrada e cumprida em regime fechado. O juiz Marcus César Gadelha decidiu, em veredicto, que o religioso não seria encaminhado para um presídio, mas deveria, durante os próximos quatro anos, cumprir proibições, entre elas a de não se aproximar de crianças, escolas, orfanatos e bares, nem ingerir bebidas alcoólicas. Caso contrário, começaria a pagar a pena. O MPPE considerou a sentença leve, por isso recorreu. Essa foi a primeira vez que um padre foi condenado em Pernambuco.

“Logo após a sentença, ingressei com petição informando que iria recorrer da decisão da Justiça. Mas a defesa do padre passou meses com o processo. Foi uma manobra para ganhar tempo. Pedi ao juiz então que pedisse de volta o processo para que eu pudesse analisar e recorrer em 2ª instância”, explicou o promotor Júlio César Cavalcanti. Segundo ele, a pena deveria subir para quatro anos e meio em regime fechado. O prazo para a defesa do religioso se pronunciar novamente é de oito dias. “Acredito que vão demorar mais tempo, mas vou pressionar a Justiça para exigir uma resposta rápida”, completou. Com o recurso, o processo segue para o Tribunal de Justiça. Três desembargadores decidirão o futuro de Evandro. Não há prazo para a votação, mas o MPPE acredita que deve demorar cerca de um ano.

Após a decisão da Justiça, a Igreja Católica, por meio da Diocese de Floresta, para onde o padre foi transferido após as denúncias de exploração sexual, decidiu suspender temporariamente temporariamente o direito do religioso de exercer o ministério. O ex-pároco de Cabrobó atualmente passa por recuperação terapêutica, em São Paulo, por determinação da igreja. Uma vez por mês, ele é obrigado a voltar ao Sertão pernambucano para se apresentar à Justiça. Um processo canônico também foi aberto no Vaticano para decidir se Evandro será expulso da Igreja.

Inquérito

A polícia começou a investigar o padre Evandro em 2008, após denúncias do Conselho Tutelar afirmando que dois adolescentes em situação de rua estavam sendo abusados, na casa paroquial, em troca de dinheiro ou presentes. O religioso foi preso em 15 de agosto do ano passado. Apesar das suspeitas, não ficou comprovado se ele fez outras vítimas.

Fonte: Diário de Pernambuco

Sobre o editor

Willames Costa
Wíllames Costa
Editor

Instagram

Parceiros do blog