Náutico não resiste ao Bragantino e perde invencibilidade de sete jogos

Embalado, time paulista ganhou seu quinto jogo seguido. Timbu permanece em terceiro, com 41 pontos

Eduardo Ramos pouco produziu e ainda foi expulso / Foto: Luis Moura/AE

Eduardo Ramos pouco produziu e ainda foi expulso

Foto: Luis Moura/AE

Depois de sete jogos invicto, o Náutico não resistiu ao Bragantino e acabou derrotado por 2×1, na noite desta terça-feira, no Estádio Nabi Abi Chedid, em Bragança Paulista (SP). Com a quarta derrota na Série B, veio também a perda da vice-liderança para a Ponte Preta, que venceu o São Caetano (1×0). Com 41 pontos, os alvirrubros ocupam a terceira colocação da Segundona. O Náutico tem a chance de se recuperar em casa, no próximo sábado, onde pega o Salgueiro.

Qualquer tática armada pelo técnico Waldemar Lemos foi por água abaixo logo aos 45 segundos de jogo, quando Léo Jaime, do Bragantino, recebeu livre e tocou na saída de Gideão, abrindo o placar para o tima da casa. Aos 24, foi a vez de Lincom, ex-Sport, marcar o segundo gol do time paulista.

O Náutico era o grande culpado dessa superioridade do Bragantino. A defesa não encaixou. Chegava atrasada na intermediária e perdia sempre para a força física dos anfitriões. Na frente, os alvirrubros tentavam apagar o fogo. Em alguns momentos, trocava passes no meio. Mas, atrás no placar desde o início, forçava os lances e erravam mais passes que de costume. Mesmo assim, criou boas jogadas com Eduardo Ramos e Rogério.

No segundo tempo, o Náutico voltou melhor e rondou a área a adversária, à procura de espaço, mas pecava nos lances finais. Só Eduardo Ramos era pouco para criar as jogadas. Assim, o técnico Waldemar Lemos tirou um volante, no caso Lenon, e lançou Marco Vinícius. O time ficou melhor. Mais ousado. Mas a verdade era que a barreira do Bragantino, que fazia lembrar muito a feita pela Portuguesa, nos Aflitos, era bem eficiente.

De tanto cruzar na área, o Timbu acertou um. Após escanteio, Marlon testou para dentro, aos 36. O Náutico entrou no jogo. O mesmo Marlon perdeu de cara, logo depois. Eduardo Ramos chutou fraco a última possibilidade de gol. E por falta dura, levou o segundo amarelo e foi expulso. Este foi o último ato da partida entre pernambucanos e paulistas.

Bragantino: Gilvan; Júnior Lopes, Luiz Carlos e Astorga; Diego Macedo, Andrézinho, Mineiro, Marcinho (Luis Felipe), Léo Jaime; Romarinho (Diego) e Lincom (Otacílio Neto). Técnico: Marcelo Veiga.

Náutico: Gideão; Peter, Marlon, Ronaldo Alves e Jeff Silva (Airton); Lenon (Marcos Vinícius), Derley, Elicarlos e Eduardo Ramos; Rogério (Alexandro) e Kieza. Técnico: Waldemar Lemos.

Local: Estádio Nabi Abi Chedid, em Bragança Paulista. Data: 13 de setembro de 2011. Árbitro: Wagner dos Santos Rosa (RJ). Assistentes: Marcia Lopes Caetano (RO) e Luis Scofield Guerra Costa (RJ). Cartões Amarelo: Diego Macedo, Marcinho e Mineiro (Bragantino); Derley, Eduardo Ramos, Kieza e Peter (Náutico). Cartão Vermelho: Diego Macedo (Bragantino); Eduardo Ramos (Náutico). Gols: Léo Jaime, aos 50 segundos, e Lincom, aos 24 minutos do primeiro tempo, Kieza, aos 36 minutos do segundo tempo.

Com Do JC Online

Sobre o editor

Willames Costa
Wíllames Costa
Editor

Instagram

Parceiros do blog