Oposição quer esvaziar depoimento de ministro e ouvir denunciante

Líderes da oposição no Congresso trabalham para esvaziar o depoimento do ministro Orlando Silva (Esporte) e ouvir, ainda nesta terça-feira (18), o policial militar do Distrito Federal João Dias Ferreira.

A audiência com o ministro está marcada para esta tarde, em uma comissão da Câmara, mas a oposição acha que ele estará “blindado” por seus aliados. “Vai ser um circo armado para abafar o ministro e as acusações que sobre ele pairam”, disse o líder tucano, Duarte Nogueira (SP).

Governo cobra de ONGs R$ 26,5 mi por desvios no Esporte
Ministro nega irregularidades e diz que denunciante é ‘criminoso’
Dilma defende maior rigor com ONGs e diz acompanhar caso
PF abrirá inquérito para investigar acusações contra ministro
PM acusa ministro Orlando Silva de montar esquema de corrupção
Devemos exigir explicações do ministro do Esporte, expõe leitor

O deputado ACM Neto (DEM-BA) explica que o governo não tem interesse em ouvir Ferreira no Congresso, por isso, a sua ida “extraoficialmente” é importante para poder confrontar as explicações do ministro.

Em entrevista publicada hoje pela Folha, Ferreira disse que Orlando Silva lhe propôs um acordo, em março de 2008, para que não levasse a órgãos de controle e à imprensa denúncia sobre irregularidades no Programa Segundo Tempo.

Alan Marques/Folhapress
Vou até as últimas consequências para defender minha honra', diz Orlando Silva
Ministro Orlando Silva durante entrevista ontem em Brasília

Ferreira protestou, na reunião que afirma ter tido, sobre ação do ministério que apontou irregularidades em dois convênios. O ministro nega o encontro com Ferreira em 2008. Diz que só se encontrou com ele em 2004 e 2005.

A ideia é que Ferreira participe, no mesmo momento do depoimento, em uma reunião com PSDB, DEM e PPS.

Reunidos nesta terça-feira, líderes da oposição também traçaram outras estratégias: insistir nas ações contra o ministro na Comissão de Ética Pública da Presidência da República, na Procuradoria-Geral da República, na Controladoria-Geral da União e na Polícia Federal.

Além disso, eles vão cobrar do Tribunal de Contas da União respostas sobre as investigações, iniciadas há alguns meses, sobre irregularidades em programas comandados pela pasta.

ENTENDA O CASO

Dois integrantes de um suposto esquema de desvio de recursos do Ministério do Esporte acusam Silva de participação direta nas fraudes, segundo reportagem publicada pela revista “Veja”.

O soldado da Polícia Militar do Distrito Federal João Dias Ferreira e seu funcionário Célio Soares Pereira disseram à revista que o ministro recebeu parte do dinheiro desviado pessoalmente na garagem do ministério.

Localizado anteontem pela Folha, Pereira confirmou a acusação contra o ministro. Orlando Silva afirmou que já acionou o ministro da Justiça para que a Polícia Federal investigue o esquema relatado.

O ministro disse ainda que as acusações podem ser uma reação ao pedido que fez para que o TCU investigue os convênios do ministério com a ONG que pertence ao policial autor das denúncias.

Em nota divulgada anteontem, o Ministério do Esporte disse que João Dias firmou dois convênios com a pasta, em 2005 e 2006, que não foram executados. O ministério pede a devolução de R$ 3,16 milhões dos convênios.

De acordo com o ministro, desde que o TCU foi acionado, integrantes de sua equipe vêm recebendo ameaças.

Com a Folha.com

Sobre o editor

Willames Costa
Wíllames Costa
Editor

Instagram

Parceiros do blog