Palmas está entre as dez capitais mais desenvolvidas do Brasil

Palmas está em oitavo lugar no ranking das capitais mais desenvolvidas do país (Foto: Fabrício Soveral/G1)

Palmas está em oitavo lugar no ranking das capitais mais desenvolvidas do país (Foto: Fabrício Soveral/G1)

Palmas é a oitava no ranking das capitais mais desenvolvidas do país e a primeira da região norte, segundo o Atlas do Desenvolvimento Humano no Brasil 2013, divulgado nesta segunda-feira (29), pelo Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (Pnud). Em primeiro lugar está Florianópolis (SC).

O Atlas apresenta o Índice de Desenvolvimento Humano Municipal (IDHM) de cada município brasileiro. Para se chegar ao IDHM são considerados três indicadores: vida longa e saudável (longevidade); acesso ao conhecimento (educação); e padrão de vida (renda). No caso da renda, é avaliado o rendimento per capita (por pessoa) do município.

Palmas, capital do Tocantins (Foto: Sydney Neto/TV Anhanguera TO)

Palmas, capital do Tocantins
(Foto: Sydney Neto/TV Anhanguera TO)

O IDH dos municípios é calculado com base em dados econômicos e sociais e vai de zero (nenhum desenvolvimento humano) a um (desenvolvimento humano total). Quanto mais próximo de um, mais desenvolvido.

Já entre os 5565 municípios brasileiros, Palmas aparece na 76º posição, com indíce de 0.788 (IDHM), com 0.789 (IDHM renda) e 0.827 (IDHM longevidade). O Tocantins está em 14º entre os estados brasileros.

Segundo o professor da Universidade Federal do Tocantins (UFT), o sociólogo Élvio Quirino, o Atlas faz uma avaliação em um período de 20 anos. “Os dados primários no recém criado estado e de Palmas eram ruins e, em 2010, se vê uma grande evolução nos índices de educação, renda, mas isso não significa que pelo fato de ter recebido ótimos índices, que não poderia ter evoluído mais.”

O sociólogo diz que houve uma evolução em todo o país neste período, que refletiu no Tocantins e em Palmas, no entanto, há ainda desigualdades. “Aumentou o índice, mas a renda continua concentrada na mão de poucos. É preciso promover a inclusão social.”

Para conseguir maior evolução, Quirino diz que é preciso diminuir a dependência, no caso de Palmas e do Tocantins, da economia do setor público. “A economia precisa ser induzida para o setor privado. E é possível fazer políticas públicas nessa direção”, conclui.

Vista da avenida JK, em Palmas (Foto: Antônio Gonçalves/Prefeitura de Palmas)

Vista da avenida JK, em Palmas (Foto: Antônio Gonçalves/Prefeitura de Palmas)

Fonte: Do G1 TO, com informações da TV Anhanguera

Sobre o editor

Willames Costa
Wíllames Costa
Editor

Instagram

Parceiros do blog