‘Perdi o debate’, afirma relator da Lei Geral da Copa

 O novo presidente da Fifa, José Maria Marin, em reunião com parlamentares da Comissão de Desporto da Câmara (Foto: Felipe Neri / G1)

O novo presidente da CBF, José Maria Marin

(centro), em reunião com parlamentares da
Comissão de Desporto da Câmara (Foto: Felipe
Néri / G1)

O relator da Lei Geral da Copa, deputado Vicente Candido (PT-SP), disse nesta quarta (21) depois de reunião com o novo presidente da Confederação Brasileira de Futebol (CBF) e do Comitê Organizador Local (COL), José Maria Marín, que perdeu o debate sobre a autorização de venda de bebida alcóolica nos estádios de futebol durante a Copa do Mundo de 2014.

“Eu não consegui vencer. Perdi o debate, apesar de alguns registros em defesa do meu texto”, declarou. O texto do relator previa autorização expressa para a venda de bebidas alcoólicas nos estádios, como pretende a Federação Internacional de Futebol (Fifa).

Arte Lei Geral da Copa atualizada até 19.mar (Foto: Arte/G1)

Mas acordo firmado entre líderes da base aliada prevê que seja votado pelo plenário da Câmara, o texto original enviado pelo Executivo ao Congresso, que não libera e nem proíbe a venda de bebida – somente exclui artigo do Estatuto do Torcedor que veda o porte de álcool nos estádios. Assim, a Fifa teria que negociar a comercialização de bebidas com os 12 estados que receberão jogos do Mundial.

Segundo Cândido, seu texto chegou a ter aceitação da base do governo e de sua bancada até duas semanas atrás, mas ele disse que depois foi “enquadrado” pela bancada a retirar o artigo sobre as bebidas alcoólicas.

Para o relator, deixar a autorização a cargo dos estados representa a quebra de um acordo já assinado com a Fifa. “Eu acho que, ao devolver isso para os estados, o governo federal está abrindo mão daquilo que foi competência e compromisso do presidente Luiz Inácio Lula da Silva assinado junto à Fifa”, afirmou.

CBF
Em visita ao Congresso Nacional, o novo presidente da CBF e do COL, José Maria Marín, se disse “tranqüilo” em relação à aprovação da Lei Geral da Copa. Ele também declarou que acredita na capacidade do país de realizar a Copa de 2014.

“Não tenho a menor dúvida de que temos condições de realizar a melhor Copa do Mundo”, afirmou. O presidente da CBF se reuniu com representantes da Comissão de Turismo e Desporto da Câmara dos Deputados a convite do presidennte da comissão, José Rocha (PR-BA). Segundo Marín, a visita foi informal.

No próximo dia 11, o presidente da CBF participa, oficialmente, de reunião ordinária da comissão. Ele deverá prestar contas da CBF e tratar de mudanças na Timemania, loteria criada pelo governo para auxiliar clubes com dívidas tributárias.

Durante a reunião com parlamentares, o presidente da CBF recebeu um relatório com informações sobre o andamento das obras para a Copa do Mundo nas 12 cidades-sede do evento. O documento deverá ser discutido na reunião do dia 11 de abril.

Fonte: Do G1, em Brasília

Sobre o editor

Willames Costa
Wíllames Costa
Editor

Instagram

Parceiros do blog