Polícia Federal investiga comprador de lixo hospitalar em PE

A PF (Polícia Federal) investigará os clientes da confecção de Santa Cruz do Capibaribe (a 205 km de Recife) responsável pela importação e revenda de lixo hospitalar produzido nos Estados Unidos.

Lojas com lixo hospitalar são fechadas no PE
EUA enviam mais 14 contêineres suspeitos ao Brasil
Lixo hospitalar dos EUA é vendido no Nordeste
Receita aciona Procuradoria contra lixo hospitalar em PE

Segundo a PF, o objetivo é saber se esses compradores –a maior parte atacadistas– tinham conhecimento da origem do material importado ilegalmente e o que eles faziam com a mercadoria.

Segundo a Vigilância Sanitária estadual, a empresa Na Intimidade, que tem o nome de fantasia Império do Forro de Bolso, importou toneladas de lençóis, fronhas e roupas usadas por hospitais americanos. Ela foi interditada.

A Receita Federal não confirma que a empresa seja a responsável pela importação. Diz que está investigando.

Dois contêineres com cerca de 46 toneladas de produtos, muitos deles sujos de sangue e embalados em meio a seringas, ataduras, luvas e máscaras cirúrgicas, foram apreendidos pela Receita Federal na semana passada, no porto de Suape (PE). A documentação indicava que a carga seria de tecido de algodão com defeito.

Leo Caldas/Folhapress
Confecção em Santa Cruz do Capibaribe, onde reportagem da Folha encontrou material
Confecção em Santa Cruz do Capibaribe, onde reportagem da Folha encontrou material

NA BALANÇA

A empresa revendia o lixo em retalhos, peças inteiras ou transformado em forros para bolsos. O preço era calculado na balança. Um quilo de lençóis custava R$ 10.

Folha comprou nove lençóis (4 kg) na sexta. Alguns estão manchados e três possuem identificações de origem, como “Baltimore Washington Medical Center University of Maryland Medical System”.

Ninguém sabe ainda a quantidade de lixo hospitalar já importado pela empresa.

O gerente geral da Vigilância Sanitária, Jaime Brito, disse que a confecção possui registro desde 1998. Os representantes da empresa não foram encontrados.

Com a Folha.com

Sobre o editor

Willames Costa
Wíllames Costa
Editor

Instagram

Parceiros do blog