Prédio de 4 andares é interditado após chuvas em Londrina (PR)

Um prédio de quatro andares foi interditado em Londrina (a 380 km de Curitiba), no domingo (16), depois de apresentar danos na estrutura devido às fortes chuvas que atingiram a cidade no fim de semana. No total, 16 famílias foram desalojadas.

Leia cobertura sobre chuva no país

Segundo o secretário municipal da Defesa Social, Joaquim Antonio de Melo, o edifício foi construído há cerca de seis anos e já apresentava problemas anteriores, como rachaduras. “Com as chuvas, a estrutura acabou cedendo um pouco mais”, afirma Melo.

Há rachaduras extensas em algumas paredes do prédio, e parte das fundações ficou exposta devido à erosão causada pelas chuvas.

Equipes da Defesa Civil municipal e do Corpo de Bombeiros vistoriaram o prédio na manhã desta segunda-feira e verificaram que não há risco de a construção cair, mas o edifício está “inabitável”, de acordo com Melo.

A Caixa Econômica Federal, responsável pela obra, também enviou um engenheiro ao local. O edifício foi construído em 2005 pelo Programa de Arrendamento Residencial, promovido pelo governo federal e executado pela Caixa.

A construtora que fez o prédio foi acionada pela Caixa e terá que fazer os reparos necessários. A empresa também informou que as famílias podem retirar seus pertences dos imóveis e que cabe à administradora do condomínio levantar as necessidades dos moradores e atendê-las.

As famílias estão alojadas em casas de parentes.

EMERGÊNCIA

A Prefeitura de Londrina deve decretar estado de emergência hoje. O objetivo é conseguir verbas estaduais e federais para ajudar na reconstrução de áreas atingidas pelas chuvas.

Segundo Melo, há muitos pontos em que o asfalto cedeu e o tráfego está interrompido.

O município também contabiliza 14 casas danificadas por deslizamentos de terra. Os locais passarão por vistoria da Defesa Civil, para verificar se será necessário desalojar os moradores.

As chuvas também deixaram 61 índios desabrigados em Londrina. Eles estão num ginásio municipal e devem regressar à aldeia ainda hoje.

A cidade registrou uma morte devido à enxurrada –um rapaz de 26 anos que morreu na última quinta-feira, arrastado para dentro de um córrego.

Ainda há uma pessoa desaparecida, também levada por uma enxurrada, mas a prefeitura suspeita que ela estivesse fugindo da polícia e ainda não a contabiliza oficialmente como desaparecida.

Parou de chover na região hoje.

Com a Folha.com

Sobre o editor

Willames Costa
Wíllames Costa
Editor

Instagram

Parceiros do blog