Prefeitura de Salvador quer privatizar Elevador Lacerda

A Prefeitura de Salvador pretende privatizar o Elevador Lacerda, um dos símbolos da capital baiana. O bilhete, que hoje custa R$ 0,15, deverá ser reajustado.

Estudos para conceder a manutenção e a receita à iniciativa privada podem sair do papel em 2012, último ano da gestão do prefeito João Henrique Carneiro (PP).

O elevador foi inaugurado em 1873 e passou pela reforma que lhe deu o aspecto atual art-déco em 1930. Em 2006, foi tombado como patrimônio histórico nacional.

Pela média mensal de 2010, 536 mil pessoas usaram as quatro cabines para subir e descer os 72 metros que separam o centro histórico da Cidade Baixa. Segundo a prefeitura, a privatização vai melhorar o serviço e livrar o município de um déficit mensal de R$ 100 mil.

Em agosto, panes reduziram a atividade das cabines e levaram à interdição do elevador por uma semana. Hoje só duas cabines funcionam.

Segundo o secretário da Casa Civil, João Leão, a prefeitura deve investir R$ 3 milhões para reformar o Lacerda antes da concessão.

O ex-prefeito e atual deputado federal Antônio Imbassahy (PSDB) criticou a intenção. “É questão de incompetência não conseguir fazer funcionar quatro elevadores”, afirmou.

Marcio Freitas/Folhapress
Elevador Lacerda, em Salvador, pode ser privatizado pela prefeitura; bilhete, hoje, custa R$ 0,15
Elevador Lacerda, em Salvador, pode ser privatizado pela prefeitura; bilhete, hoje, custa R$ 0,15

Com a Folha.com

Sobre o editor

Willames Costa
Wíllames Costa
Editor

Instagram

Parceiros do blog