Procurador estuda propor inquérito único contra Agnelo e Orlando Silva

O procurador-geral da República, Roberto Gurgel, afirmou na tarde desta quarta-feira que deverá pedir abertura de inquérito contra o ministro Orlando Silva (Esporte) ainda nesta semana, assim que definir quais as investigações iniciais devem ser feitas.

Ele também disse que, se encontrar relações diretas entre as suspeitas contra Orlando Silva e aquelas que atingem o governador do Distrito Federal, Agnelo Queiroz (PT), pedirá que a abertura de um inquérito único no Supremo, para investigá-los conjuntamente.

Ministro diz que continua à frente da coordenação da Copa de 2014
Ministro pagou R$ 370 mil à vista por terreno em Campinas
Esporte esvaziou apuração contra ONG sob suspeita
Patrimônio de policial delator inclui casa, academias e carros

“Se a conexão entre os fatos recomendar, já pedirei que o Supremo peça ao STJ a remessa do inquérito relacionado ao governador”, disse Gurgel.

“O certo é que a gravidade dos fatos é tamanha que se impõe até para que se possam apurar devidamente esses fatos, a instauração do inquérito”, disse Gurgel.

Em entrevista à revista “Veja”, o policial militar João Dias Ferreira afirmou que Orlando Silva participava de esquema de desvio de recursos do Ministério do Esporte e que teria, inclusive, recebido dinheiro na garagem de sua sede.

Nesta quarta-feira, a Folha revelou que Queiroz é alvo de um inquérito no STJ (Superior Tribunal de Justiça) sobre seu suposto envolvimento em fraudes, quando era ministro do Esporte.

Ele é suspeito, segundo inquérito da Operação Shaolin, que investigou o esquema, de ter recebido R$ 256 mil em espécie provenientes do programa Segundo Tempo, que ajuda crianças carentes.

Com a Folha.com

Sobre o editor

Willames Costa
Wíllames Costa
Editor

Instagram

Parceiros do blog