Promotoria exige transferência de pacientes em Várzea Grande (MT)

O Ministério Público de Mato Grosso foi à Justiça na quinta-feira (20) para exigir a transferência imediata de 54 pacientes internados no setor de emergência do Pronto Socorro Municipal de Várzea Grande (vizinha a Cuiabá) para outras unidades, mesmo que particulares.

“O Pronto Socorro de Várzea Grande encontra-se em evidente superlotação e vários pacientes estão acomodados em macas espalhadas pelos corredores, e outros até mesmo no chão, em situação completamente precária”, disse o promotor Rodrigo Braga Arruda.

A crise foi agravada na última sexta-feira (14), quando um temporal causou danos à chamada Sala Vermelha (setor emergência e trauma) do Pronto Socorro de Cuiabá e levou à interdição da unidade para novos atendimentos.

“Se não bastasse a transferência dos pacientes do Pronto Socorro de Cuiabá, todos os enfermos que chegam do interior do Estado e de outras unidades da federação estão sendo encaminhados diretamente para Várzea Grande”, disse o promotor.

Por meio de uma ação civil pública, a promotoria pediu que a Justiça estabeleça um prazo máximo de 24 horas para as transferências e que proíba o encaminhamento de novos pacientes ao local.

“Existem sérias denúncias já em investigação na Promotoria de Justiça de que médicos e funcionários estariam com seus salários atrasados, bem como que pacientes e funcionários estariam fazendo uma espécie de ‘cota’ para a aquisição de materiais e insumos mais simples”, disse.

REFORMA

A ala atingida no Pronto Socorro de Cuiabá foi recentemente reformada a um custo de R$ 6 milhões. Em nota, a prefeitura diz que “não recebeu a obra oficialmente e suspendeu o pagamento da empresa responsável pela reforma.”

“A questão está sendo tratada na Justiça”, diz a nota.

Com a Folha.com

Sobre o editor

Willames Costa
Wíllames Costa
Editor

Instagram

Parceiros do blog