Rebeldes líbios identificam paradeiro de Gaddafi, diz TV

Forças do CNT (Conselho Nacional de Transição) da Líbia identificaram o paradeiro do ditador Muammar Gaddafi, informou um correspondente da TV Al Jazeera neste domingo.

O repórter citou o chefe do conselho militar em Trípoli, Abdul Hakim Belhadj, mas a Al Jazeera não identificou a localização.

Reuters
Cartaz de Gaddafi "procurado vivo ou morto" foi publicado em jornal em Trípoli na sexta-feira (1)
Cartaz de Gaddafi “procurado vivo ou morto” foi publicado em jornal em Trípoli na sexta-feira (1)

As forças rebeldes líbias se preparam para entrar nas próximas horas na cidade de Bani Walid, uma das três ainda consideradas redutos do antigo regime, em que leais a Gaddafi ainda resistem. O ditador poderia estar escondido neste em um desses redutos, com seu filho Saif al Islam.

Os rebeldes deram prazo até as 10h da manhã (horário local, 5h de Brasília) para que a bandeira rebelde seja içada na cidade. Caso contrário, entrarão à força.

Segundo disse à agência Efe o comandante Alis Mohammed, das forças especiais de Trípoli, não foram registrados combates nas últimas 24 horas, embora tenha havido alguns confrontos armados em algumas áreas da cidade.

O comandante Alis disse que não sabia quantos seguidores do ditador poderiam haver na cidade, embora se estime que seriam várias dezenas de mercenários contratados por Gaddafi em outros países.

Segundo informações da agência Efe, às portas da cidade o clima é de calma, com os milicianos montados nos carros militares e com as armas preparadas à espera de receber uma ordem.

FILHO

Saif al Islam, filho de Gaddafi, tem viajado pelos arredores de Trípoli, reunindo-se com líderes tribais e preparando uma retomada da capital líbia, disse seu porta-voz nesta sexta-feira.

Numa conversa telefônica com a Reuters, dizendo falar de “um subúrbio ao sul de Trípoli”, Moussa Ibrahim disse que o CNT não terá condições de governar o país depois de ter expulsado Gaddafi da capital, na semana passada, e sugeriu que os governos ocidentais deveriam negociar com o líder deposto.

Ele também apontou “a ironia” no fato de a Otan (Organização do Tratado do Atlântico Norte) ter se aliado a um combatente islâmico que já teve contatos com a Al Qaeda, e que agora estaria no comando militar de Trípoli.

Num tom tranquilo, o porta-voz não quis dizer com precisão onde estava, mas foi um número da Líbia que apareceu no identificador de chamadas do repórter.

“Eu me desloco bastante e não tenho conexão à Internet no momento”, disse ele. “Na verdade”, prosseguiu, “ainda ontem (quinta-feira) estive com o senhor Saif al Islam num trajeto circundando Trípoli pelo sul.”

Saif, que estudou em Londres e foi considerado durante anos o herdeiro mais provável de Gaddafi, se reuniu com líderes tribais e outros apoiadores, segundo o porta-voz.

“Ainda estamos muito fortes”, afirmou ele, sem dizer tampouco qual era o paradeiro de Gaddafi, foragido desde que as forças rebeldes entraram em Trípoli e na

DA REUTERS, NO CAIRO
DAS AGÊNCIAS DE NOTÍCIAS

Sobre o editor

Willames Costa
Wíllames Costa
Editor

Instagram

Parceiros do blog