Red Bull vê 2011 anormal e aposta em rivais mais fortes em 2012

Apesar da facilidade com que Sebastian Vettel e a Red Bull repetiram os títulos do Mundial de Pilotos e de Construtores da F-1 que haviam conquistado em 2010, o chefe do time, Christian Horner, não acredita que no ano que vem a história será a mesma.

“Não somos tolos ou arrogantes de imaginar que o tipo de performance que estamos tendo neste ano é normal. É anormal e demanda um esforço sobre humano para conseguirmos”, afirmou o dirigente após o GP da Coreia do Sul, no último domingo, vencido por Vettel e que sacramentou a conquista do título de construtores pela Red Bull com três provas de antecipação.

“Certamente os nossos adversários vão trabalhar duro durante este inverno. Tolerar nossa conquista uma vez eles até conseguiram, mas agora eles já devem estar ficando chateados”, esnobou Horner.

Até aqui neste ano, sua equipe sobrou. Em 16 corridas já disputadas, a Red Bull venceu dez –todas com Vettel. Na temporada passada, das 19 etapas do Mundial, a equipe havia vencido nove.

Jo Yong-Hak/Reuters
Sebastian Vettel, da Red Bull, comemora vitória no GP da Coreia do Sul
Sebastian Vettel, da Red Bull, comemora vitória no GP da Coreia do Sul

Em treinos de classificação, o domínio do time austríaco é ainda mais avassalador. Foram 15 pole positions até que, no último sábado, Lewis Hamilton conseguiu colocar fim à hegemonia.

Apesar da supremacia da adversária, Stefano Domenicali, chefe da Ferrari, ainda acredita que a escuderia italiana pode vencer uma corrida até o fim do ano –até agora ganhou somente uma.

“Nosso ritmo de corrida é melhor que o de classificação. Por isso temos que tentar encerrar o campeonato do melhor jeito possível”, disse o italiano. “Acreditamos realmente que podemos vencer pelo menos uma das três corridas que ainda faltam.”

A próxima etapa da F-1 é o GP da Índia, no dia 30.

Com a Folha.com

Sobre o editor

Willames Costa
Wíllames Costa
Editor

Instagram

Parceiros do blog