Rui Falcão defende Agnelo Queiroz e chama opositores de canalhas

O presidente nacional do Partido dos Trabalhadores, deputado estadual Rui Falcão, chamou de canalhas e caluniadores os opositores do governador do Distrito Federal, Agnelo Queiroz.

Ao discursar para a juventude petista, na noite deste sábado (12) durante o 2º Congresso Nacional da Juventude do PT, Falcão afirmou que os adversários de Agnelo tentam atingir o PT. E concluiu: “quero cumprimentar aqueles que votaram em Agnelo para acabar com aquela corja”.

Oposição no DF pede impeachment de Agnelo Queiroz
Em vídeos, lobista apresenta versões diferentes sobre depósito a Agnelo
PF pede ao STJ autorização para investigar Agnelo Queiroz
Governador do DF se diz vítima de ‘armação criminosa’
Agnelo Queiroz admite ter recebido dinheiro de lobista

O presidente da Câmara Legislativa do Distrito Federal, deputado Patrício (PT), arquivou na quinta-feira (10) os cinco pedidos de impeachment apresentados pela oposição contra o governador petista.

Patrício é correligionário de Agnelo no PT. Além disso, foi eleito presidente da Câmara com ampla maioria, graças à base governista, que tem 19 dos 24 deputados distritais.

ENTENDA

Os pedidos se baseavam em irregularidades que ocorreram no Ministério do Esporte, quando Agnelo era ministro –ele é investigado no STJ (Superior Tribunal de Justiça) por conta de suspeitas de participação no desvio de dinheiro por meio de ONGs.

Além disso, a oposição pediu a queda de Agnelo por conta do depoimento dado pelo lobista Daniel Tavares à deputada Celina Leão (PSD), no qual acusa o governador de receber propina –depois ele mudou de versão. Agnelo confirma que recebeu R$ 5.000 de Tavares, mas afirma que foi um pagamento de empréstimo.

Para arquivar os pedidos de impeachment, o presidente da Câmara se baseou em dois pareceres da Procuradoria da Câmara. Num deles, os procuradores afirmam que o DEM e o PSDB não têm legitimidade para pedir o processo, apenas cidadãos. Também foi arquivado, por problemas formais, o pedido de um advogado.

Restaram os pedidos de Alberto Fraga, presidente regional do DEM, e Raimundo Ribeiro, presidente regional do PSDB. Para a Procuradoria, o vídeo no qual Daniel Tavares acusa Agnelo carece de “robustez”.

“Os vídeos não se revestem de robustez para fundamentar impeachment”, diz o parecer da Procuradoria da Câmara.

Segundo o documento, um pedido de impeachment pode causar uma “convulsão social” e, por isso, requerem mais fundamentação que um processo comum. Além disso, a Procuradoria defende uma investigação “exaustiva” acerca das acusações contra Agnelo –para só depois analisar a necessidade de impeachment.

“No impeachment, a análise deve ser acurada, porque é de extrema gravidade seu recebimento. A simples abertura por si só configura crise”, diz trecho do parecer.

Com a Folha.com

Sobre o editor

Willames Costa
Wíllames Costa
Editor

Instagram

Parceiros do blog