Sarkozy decreta alerta máximo em região de ataques na França

Reuters

O presidente da França, Nicolas Sarkozy, decretou nesta segunda-feira alerta máximo na região de Toulouse, onde uma escola judaica foi atacada e quatro pessoas, entre elas três crianças morreram.

Quatro morrem em ataque a escola judaica na França

Sarkozy afirma que foi uma mesma pessoa que cometeu os dois tiroteios na região e disse que a motivação antissemita das ações é “evidente”. Em pronunciamento no palácio do Eliseu, em Paris, o presidente revelou que o governo disponibilizou “todos os meios disponíveis” para capturar o atirador.

“Esse ato odioso não pode ficar impune”, disse Sarkozy, que receberá na terça-feira representantes da comunidade judaica para comentar os ataques.

O presidente suspendeu sua campanha eleitoral para a reeleição até a quarta-feira, quando serão enterradas as quatro vítimas do atirador.

Editoria de Arte/Folhapress

MESMA MOTO

A mesma motocicleta roubada, e a mesma arma, foram utilizadas em três ataques distintos em Toulouse e Montauban (sudoeste da França), entre eles o atentado desta segunda-feira, afirmou hoje uma fonte da polícia à âgência de notícias France Presse.

A motocicleta T-Max, da marca Yamaha, foi roubada em Toulouse uma semana antes do assassinato, no último dia 11, de um militar francês na mesma cidade.

Essa moto foi usada quatro dias mais tarde no assassinato de outros dois soldados em Montauban, na mesma região.

E finalmente, o mesmo veículo foi utilizado no ataque contra uma escola em Toulouse, que deixou quatro mortos — um professor e três alunos — apontou essa fonte.

A mesma arma, de calibre 11,43, também foi utilizada nos três atentados.

A divisão antiterrorismo da promotoria francesa abriu hoje uma investigação por conta do ataque ao colégio judaico e do assassinato dos militares.

O promotor de Toulouse, Michel Valet, assegurou que a “bala disparada em Toulouse [contra o militar no dia 11] e as balas disparadas em Montauban procedem uma mesma e única arma”.

As semelhanças entre esses assassinatos e a matança desta segunda-feira em Toulouse levaram à promotoria em Paris a centralizar as três investigações, que são “constituídas por fatos qualificados de homicídio e tentativa de homicídio” vinculados ao terrorismo.

CARTAS AMEAÇADORAS

A polícia francesa está investigando duas cartas ameaçadoras de conteúdo idêntico enviadas a duas sinagogas, apontou uma fonte próxima à investigação.

Duas sinagogas de Paris receberam cartas em que os remetentes afirmam que “vocês são o povo de Satã, que os espera no inferno”, conforme afirmou a fonte.

DAS AGÊNCIAS DE NOTÍCIAS

Sobre o editor

Willames Costa
Wíllames Costa
Editor

Instagram

Parceiros do blog