Senadores do PC do B pedem audiência pública com Orlando Silva

Senadores do PC do B protocolaram nesta segunda-feira (17) um requerimento propondo uma audiência pública para ouvir o ministro Orlando Silva (Esporte) na Comissão do Ambiente, Defesa do Consumidor, Fiscalização e Controle do Senado. O ministro é acusado de integrar um esquema de desvio de recursos públicos do programa Segundo Tempo.

O requerimento deve ser votado nesta terça-feira. Autora do documento, a senadora Vanessa Grazziotin (PC do B-AM) sugere que a audiência seja em conjunto com a Câmara.

PF abrirá inquérito para investigar acusações contra ministro
Dilma convoca ministro do Esporte para dar explicações
PM acusa ministro Orlando Silva de montar esquema de corrupção
Oposição pedirá à Procuradoria que investigue ministro do Esporte
Denúncias contra ministro do Esporte ‘são infundadas’, diz PC do B

“Assim como pediu de imediato investigação da Polícia Federal sobre o caso, o ministro tem pressa em comparecer ao parlamento para dar os seus esclarecimentos. Achamos que isso pode ser feito numa única audiência com os deputados e senadores.”

O requerimento também contou com o aval dos senadores Inácio Arruda (PC do B-CE) e Lídice da Mata (PSB-BA).

Para Vanessa, o ministro tem respaldo político e vai exigir rigor na apresentação de provas por parte das pessoas que o acusam.

ACUSAÇÕES

Dois integrantes de um suposto esquema de desvio de recursos do Ministério do Esporte acusam Silva de participação direta nas fraudes do programa, segundo reportagem publicada pela revista “Veja”.

O soldado da Polícia Militar do Distrito Federal João Dias Ferreira e seu funcionário Célio Soares Pereira disseram à revista que o ministro recebeu parte do dinheiro desviado pessoalmente na garagem do ministério.

Silva afirmou que já acionou o ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, para que a Polícia Federal investigue o esquema relatado.

O ministro disse ainda que as acusações podem ser uma reação ao pedido que fez para que o TCU investigue os convênios do ministério com a ONG que pertence ao policial autor das denúncias.

Em nota divulgada ontem, o Ministério do Esporte disse que João Dias firmou dois convênios com a pasta, em 2005 e 2006, que não foram executados. O ministério pede a devolução de R$ 3,16 milhões dos convênios.

De acordo com o ministro, desde que o TCU foi acionado, integrantes de sua equipe vêm recebendo ameaças.

Com a Folha.com

Sobre o editor

Willames Costa
Wíllames Costa
Editor

Instagram

Parceiros do blog