Sobe para 21 o número de mortos pelo tufão Nesat nas Filipinas

Ao menos 21 pessoas morreram, 35 estão desaparecidas e centenas de milhares tiveram de abandonar suas casas pelas enchentes provocadas pelo tufão Nesat, que cruzou o norte das Filipinas, indicaram fontes oficiais nesta quarta-feira.

Veja a galeria de imagens do tufão Nesat

O tufão, batizado pelos filipinos de “Pedring”, entrou no país nesta terça-feira com ventos sustentados de 140 km/h e rajadas de até 170 km/h. “Nesat” já abandonou as Filipinas pelo Mar da China Meridional rumo ao Vietnã.

Benito Ramos, diretor do Centro Nacional de Prevenção de Desastres, assegurou que o número de mortos aumentará nas próximas horas.

A última vítima registrada é uma mulher de 22 anos que morreu afogada na província de Isabela (norte), uma das mais afetadas pelo temporal.

De acordo com o boletim anterior do Centro Nacional de Prevenção de Desastres, as últimas vítimas eram cinco crianças entre 7 meses e 10 anos de idade que faleceram atingidas por árvores que caíram devido ao vendaval em diferentes pontos do leste e do norte do arquipélago.

Romeo Ranoco /Reuters
Fortes ventos provocados pelo tufão Nesat causam destruição em Tondo, próxima a Manila; veja mais fotos
Fortes ventos provocados pelo tufão Nesat causam destruição em Tondo, próxima a Manila; veja mais fotos

Ao menos 35 pessoas continuam desaparecidas, enquanto 108 foram resgatadas pelos serviços de salvamento na ilha de Luzon.

Os alertas pelo temporal foram rebaixados em todo o país, mas o serviço filipino de meteorologia (Pagasa) advertiu que nas zonas mais afetadas pelas inundações o risco continua sendo alto.

Pouco a pouco a eletricidade vai voltando aos quase dois milhões de lares que ficaram sem energia por conta da tempestade.

Também recuperou a normalidade a capital, Manila, onde os serviços de limpeza levam toda a jornada retirando os escombros e as árvores derrubados pelo vendaval.

Segundo as autoridades, 171.570 pessoas foram afetadas pelo tufão, sendo que pelo menos 47 mil delas estão em abrigos disponibilizados pelo Governo.

A presença de “Nesat” evocou o fantasma da tragédia causada há dois anos pela tempestade tropical Ketsana e o tufão Parma, que arrasaram o terço norte do país e deixaram mais de 1 mil mortos e muitos danos de infraestrutura nas piores inundações registradas em quatro décadas.

Francis R. Malasig/Efe
Filipinos tentam avançar em rua inundada por conta do tufão que passou na cidade de Manila
Filipinos tentam avançar em rua inundada por conta do tufão que passou na cidade de Manila

DA EFE

Sobre o editor

Willames Costa
Wíllames Costa
Editor

Instagram

Parceiros do blog