Sobe para ao menos quatro nº de mortos em ataque no Afeganistão

Ataques de militantes talebans desta terça-feira contra a Embaixada dos EUA em Cabul, no Afeganistão, o quartel-general da Otan (aliança militar do Ocidente) e outros prédios oficiais deixaram ao menos dois civis e mais dois policiais mortos, além 16 feridos.

Ao menos seis explosões e tiros foram ouvidos na capital ao longo do dia. Segundo o Taleban, que reivindica a ação, vários militantes estavam armados com granadas, fuzis AK-47 e coletes suicidas. Os alvos eram prédios do governo nas proximidades do distrito de Wazir Akbar Kha, que abriga as embaixadas.

Omar Sobhani/Reuters
Minivan danificada após atentados em Cabul
Minivan danificada após atentados em Cabul

Um foguete atingiu um ônibus escolar, mas aparentemente o veículo estava vazio no momento do impacto. Imagens da televisão mostram uma minivan queimada, uma bicicleta abandonada no meio da rua e pessoas correndo.

É a primeira vez que a organização realiza ataques simultâneos em diferentes áreas. A incursão foi o segundo grande ataque do Taleban na cidade em menos de um mês, depois que homens-bomba atingiram a sede do Conselho Britânico em meados de agosto, matando nove.

Após os ataques, as vias próximas à Embaixada dos EUA e às outras missões diplomáticas foram bloqueadas pela polícias.

Editoria de Arte/Folhapress

SEGUNDO ATAQUE

Horas depois do primeiro atentado, houve outro atentado suicida no oeste de Cabul, informou um policial. Um segundo homem-bomba detonou explosivos perto da escola de ensino médio Habibia, também a oeste de Cabul, informou o Ministério do Interior, em comunicado.

O Taleban, além de ter assumido a responsabilidade pelas ações no distrito das embaixadas, afirmou que também tinha iniciado um ataque perto do aeroporto, tendo como forças de segurança.

OTAN

O secretário-geral da Otan, Anders Fogh Rasmussen, afirmou que os ataques são uma tentativa de minar a transferência da responsabilidade pela segurança do Afeganistão para forças do próprio país. Mas Rasmussen afirmou que eles não irão conseguir. “Testemunhamos que o Taleban está tentando testar a transição, mas eles não podem impedi-la. A transição está no caminho e irá continuar.”

Omar Sobhani/Reuters
Suposto pedaço de armamento usado em ataque
Suposto pedaço de armamento usado em ataque

“Estamos acompanhando os eventos de perto, confiamos na habilidade nas autoridades afegãs para lidar com essa situação”, completou.

As tropas estrangeiras começaram em julho passado a se retirar do país e a transferir gradualmente a competência da segurança à forças afegãs. A transferência deve ser concluída em 2014.

Os ataques desta terça-feira mostram que mesmo após uma década da invasão militar americana após o 11/9, o país continua instável. O nível de violência no Afeganistão é o pior desde que a coalizão ocidental interveio militarmente no país no final de 2001, com alto índice de morte entre as tropas e número recorde de baixas civis.

Na véspera do 10º aniversário do 11/9, um caminhão-bomba explodiu em uma base da Otan no centro do Afeganistão matando quatro civis afegãos e ferindo 77 militares americanos.

Omar Sobhani/Reuters
Policial afegão vigia local próximo ao ataque taleban ao setor diplomático em Cabul
Policial afegão vigia local próximo ao ataque taleban ao setor diplomático em Cabul

DAS AGÊNCIAS DE NOTÍCIAS

Sobre o editor

Willames Costa
Wíllames Costa
Editor

Instagram

Parceiros do blog