Sport e Mazola engrenam

Com oito vitórias e um empate nos últimos nove jogos, time chega a 76,4% de azproveitamento e técnico ganha moral

Aproveitamento geral de Mazola no Leão é de 69,6% (Foto: Guga Matos/JC Imagem)

O técnico Mazola Júnior pisou no gramado da Ilha do Retiro na noite do sábado 11 de fevereiro sabendo que um tropeço diante do Porto poderia custar o seu cargo. Mazola, que sabe bem da pressão inerente ao cargo, especialmente num clube de massa, de torcedores exigentes, lembrou das atribulações pelas quais já tinha passado desde que assumiu o Leão pela primeira vez, como interino, durante o primeiro turno da Série B em 2011.

Treinador jovem, promovido do time júnior, inicialmente como interino no lugar de Hélio dos Anjos, começara bem na Série B, fora efetivado, vencera quatro jogos e empatara dois dos sete primeiros, incluindo o seu primeiro clássico, contra o Náutico. Entretanto, não resistiu a uma sequência de três derrotas e foi relegado ao posto de auxiliar-técnico de Paulo César Gusmão. O primeiro capítulo de Mazola no Sport terminava sem brilho.

O mundo da bola deu uma volta. PC Gusmão tinha resultados piores. Meio que no desespero, a diretoria leonina o demitiu e resgatou Mazola faltando cinco jogos. O treinador sacodiu o emocional do grupo, extraiu tudo dos jogadores. Deu mais do que certo. Quatro vitórias, um empate, e tropeços dos concorrentes diretos levaram o Sport de volta à Série A. E evidenciaram a promoção de Mazola Júnior, em forma de renovação com contrato bem melhor que o anterior.

Contudo, ao pisar no gramado, naquela noite, na Ilha, Mazola sabia que de nada adiantava o que já tinha feito, se o resultado fosse negativo. O Leão vinha de duas derrotas em três jogos antes do jogo com o Porto, incluindo uma em casa para o Ypiranga, que estava na zona do rebaixamento. Vencer era indispensável. Mesmo sem jogar bem, mesmo contando com erros da arbitragem, o fato é que o Sport venceu essa partida fundamental. Marcelinho Paraíba fez três gols. O craque do Sport dedicou os gols ao treinador.

A seguir, clássico contra o Santa Cruz. Mais uma decisão para Mazola. Ele prometeu que recuperaria os pontos perdidos contra o Ypiranga. Seria a estreia de Jael. O time entrou em campo com Magrão, Moacir, Tobi, Bruno Aguiar e Renê; Hamilton, Rivaldo, Marquinhos Paraná e Marcelinho Paraíba; Jheimy e Jael. O Leão dominou a partida e venceu por 3 a 1.

Esses dois jogos foram um divisor de águas para o Sport e para Mazola. Ele, enfim, conseguiu encaixar o time no esquema com três volantes, o que vinha tentando desde o início do certame. A equipe ganhou variações táticas. Além do 4-3-1-2, passou a utilizar nos últimos jogos o 4-2-2-2 e o 4-2-3-1, com Marquinhos Gabriel entrando na equipe como meia-atacante pela esquerda e Willians como meia-atacante pela direita. Marcelinho joga solto e vem fazendo a diferença.

Marcelinho Paraíba, o melhor jogador em atividade em Pernambuco (Foto: Rodrigo Lôbo/JC Imagem)

Os rubro-negros engataram uma a sequência de bons resultados. Ao todo, o Leão venceu sete dos últimos oito jogos no Pernambucano, assumindo a liderança, e também despachou o 4 de Julho-MA na Copa do Brasil logo no primeiro jogo.

ALTO APROVEITAMENTO

As oito vitórias e um empate obtidos nos últimos nove jogos dizem muito. O aproveitamento da equipe em 2012 chegou aos 76,4%. Três de cada quatro possíveis pontos foram faturados.

O aproveitamento particular de Mazola também anda nas alturas. Levando em consideração os jogos do fim da Série B e os de 2012, o índice chega a 78,7%.

O rendimento médio só diminui se tomado em conta o período de Mazola no início da Série B. Considerando todos os 33 jogos em que ele colocou o time em campo, o aproveitamento é de 69,6%.

Tais números são significativos e mostram que o Sport se encontra em ascenção. Mesmo com algumas oscilações durante as partidas, o time não chega a sofrer sufoco, ser pressionado pelo adversário. Ainda não joga um futebol convincente, mas já se tornou uma equipe competitiva.

O crescimento do Sport se deve a alguns fatores. O elenco se fortaleceu à medida que os reforços foram se adaptando à equipe. O técnico parou com algumas improvisações, lançou mão de um esquema com mais jogadores de vocação ofensiva e tem feito uma leitura melhor dos jogos.

Particularmente para Mazola, os resultados obtidos o fortalecem. Mas ele sabe que precisa seguir se superando para ir sedimentando cada vez mais o seu trabalho e a sua importância dentro do clube. Até que as pequenas instabilidades não sejam ameaçadoras.

Abaixo, um balanço dos resultados de Mazola.

Resultados do Sport sob o comando de Mazola

Primeira passagem

» Em 2011, primeiro turno da Série B

Jogos: 11
Vitórias: 5
Empates: 2
Derrotas: 4

Aproveitamento: 51,5%

Jogos: Sport  0x0  Criciúma, Sport  2×0  ABC, São Caetano 3×3 Sport, Sport  3×1  Ponte Preta, Bragantino  3×2  Sport, Sport  3×0  Salgueiro, Goiás  2×1  Sport, Sport 2 x 0 Náutico, Boa Esporte 3×0  Sport, Sport  2×3  Portuguesa, Americana  2×1  Sport, Paraná  1×2  Sport.

Segunda passagem 

» Em 2011, reta final da Série B:

Jogos: 5
Vitórias: 4
Empate: 1
Derrota: 0

Aproveitamento: 86,6%

Jogos: Sport 4×1 Boa Esporte, Portuguesa 2×2 Sport, Sport 4×0 Americana, Sport 3×0 Paraná, Vila Nova 0x1 Sport.

» Em 2012, Campeonato Pernambucano e Copa do Brasil:

Jogos: 17
Vitórias: 12
Empates: 3
Derrotas: 2
Aproveitamento: 76,4%

Jogos: Araripina 1 x 1 Sport, Sport 0 x 0 América, Sport 2 x 1 Petrolina, Belo Jardim 0 x 3 Sport, Sport 4 x 3 Náutico, Salgueiro 2 x 0 Sport, Serra Talhada 1 x 2 Sport, Sport 0 x 1 Ypiranga, Sport 4 x 2 Porto, Santa Cruz 1 x 3 Sport, Sport 2 x 1 Central , Central 1 x 1 Sport, Sport 3 x 2 Belo Jardim , Petrolina 0 x 1 Sport, Sport 2 x 1 Araripina, América 2 x 4 Sport.

» Total da segunda passagem (Fim da Série B e 2012):

Jogos: 22
Vitórias: 16
Empates: 4
Derrotas: 2
Aproveitamento: 78,7%

DESEMPENHO TOTAL DE MAZOLA JÚNIOR NO SPORT:

Jogos: 33
Vitórias: 21
Empates: 6
Derrotas: 6

Aproveitamento total: 69,6%

Fonte: Do Blog do Torcedor do NE10

Sobre o editor

Willames Costa
Wíllames Costa
Editor

Instagram

Parceiros do blog