Tiro causou morte de Muammar Gaddafi, diz médico após autópsia

As autoridades interinas da Líbia anunciaram na manhã deste domingo que uma autópsia foi realizada no corpo do ex-ditador Muammar Gaddafi na última madrugada, e que os legistas confirmaram um tiro como a causa da morte. O governo diz garantir que um sepultamento normal deve ocorrer e que o cadáver será entregue aos familiares do ex-líder.

Veja galeria de fotos do dia seguinte à morte de Gaddafi
Veja imagens marcantes do ditador
Gaddafi assumiu o poder na Líbia em 1969; saiba mais
Veja galeria de fotos dos corpos de Gaddafi e filho (IMAGENS FORTES)

“Ele morreu devido a um tiro de arma de fogo. É óbvio”, disse o legista, sem precisar se o local do tiro mortal é realmente no lado esquerdo da cabeça do ex-ditador, onde há uma marca de disparo, segundo as fotografias e vídeos divulgados mostram.

“Ainda há diversas questões. Temos que repassar [o relatório]ao procurador-geral. Mas tudo será revelado publicamente. Nada será escondido”, acrescentou.

As revelações chegam um dia de Mahmoud Jibril, primeiro-ministro interino da Líbia, ter dito que o país deve realizar eleições livres e democráticas em até oito meses para formar um conselho com a missão de escrever uma nova Constituição e criar um governo provisório.

A autópsia foi conduzida num necrotério da cidade de Misrata, a cerca de 200 km ao leste da capital líbia, Trípoli.

Após os exames, o corpo deve ser colocado novamente na sala refrigerada de um mercado local, onde tem sido visto por centenas de líbios munidos de câmeras e celulares desde sexta-feira.

SEPULTAMENTO E FAMÍLIA

O Conselho Nacional de Transição líbio (CNT) está determinado a enterrar o corpo de Gaddafi, morto na quinta-feira em circunstâncias ainda não esclarecidas após ser detido pelos revolucionários em Sirte, último reduto dos aliados e cidade natal do ex-ditador.

  Mohamed Messara/Efe  
Centenas de líbios formaram filas durante a sexta-feira para ver e fotografar corpo de Gaddafi exposto em mercado
Centenas de líbios formaram filas para ver e fotografar corpo de Gaddafi exposto em mercado

“Nós como muçulmanos, não vamos deixar que as emoções se imponham, temos de respeitar o corpo, esta é a postura do CNT”, disse um membro da máxima autoridade de transição, Abder Ramin.

A respeito do sepultamento houve inúmeras especulações, inclusive que seria lançado ao mar, um procedimento contrário à lei muçulmana, que diz que o corpo deve ser enterrado nas 24 horas posteriores a morte, o que também não aconteceu.

“Somos pessoas civilizadas e não lançaremos seu corpo ao mar, isso quem fazia era Gaddafi, que jogava os corpos de líbios ao mar e os queimava, mas temos nossa moral, religião, tradições e costumes, e não o atiraremos (ao mar)”, garantiu outro membro do CNT Salem Canan.

Canan reconheceu que o local da sepultura “é uma questão sensível, que exigirá consultas a família e tribo do ditador”, devido ao fato de que o CNT teme profanação da sepultura.

ATENÇÃO: imagens agressivas a seguir

  Mohamed Messara/Efe  
Corpo do ex-ditador da Líbia Muammar Gaddafi foi exibido durante todo o dia num mercado na cidade de Misrata
Corpo do ex-ditador da Líbia Muammar Gaddafi foi exibido durante todo o dia num mercado na cidade de Misrata

“Gaddafi era um criminoso e matou muitas pessoas no país. Não são poucos os que querem vingar-se e existe o problema de que se souberem o local da sepultura alguém pode ir até lá, destruir o túmulo, saquear e queimar o corpo”, justificou Canan.

CONTROVÉRSIAS

A morte do ex-ditador ainda é cercada de controvérsias. Médicos-legistas ouvidos pelo repórter Luis Kawaguti dizem que as fotos de seu corpo sugerem que ele não levou tiros à queima-roupa, ou seja, a menos de 50 cm de distância.

O ferimento que mais chama a atenção é um orifício de entrada de projétil do lado esquerdo da cabeça do ditador, segundo o legista Augusto Aurélio de Carvalho, secretário-geral da Associação Brasileira de Medicina Legal.

Segundo ele, a imagem indica que o disparo não foi feito à queima-roupa –mas a uma distância superior a 50 cm. Um tiro à queima-roupa deixaria uma marca característica na pele.

“No assassinato sumário, a arma geralmente é encostada na cabeça da pessoa, e o ferimento não sugere isso.” Para outra legista, que pediu para não ter o nome revelado, uma suposta queimadura sugere que o tiro não teria sido à queima-roupa, mas acontecido à curta distância.

Ambos concordam que uma marca, no abdome de Gaddafi, pode ter sido causada por outro tiro ou estilhaço.

Levantam a hipótese de um terceiro tiro -que teria entrado na parte de trás de sua cabeça e saído pela testa. E também acreditam que a coloração dos hematomas atesta que Gaddafi foi espancado vivo.

A versão oficial do CNT (Conselho Nacional de Transição) é que o ditador levou um tiro na cabeça e outro no peito em um tiroteio. Mas imagens de cinegrafistas amadores mostraram Gaddafi com vida após a captura. Organismos internacionais cobram mais transparência do governo interino.

DAS AGÊNCIAS DE NOTÍCIAS

Sobre o editor

Willames Costa
Wíllames Costa
Editor

Instagram

Parceiros do blog