Tribunal investiga Scolari de novo

O STJD (Superior Tribunal de Justiça de Desportiva) está investigando, mais uma vez, o técnico do Palmeiras, Luiz Felipe Scolari, por condutas antidesportivas.

O órgão analisa se o treinador poderia ou não ter ido ao vestiário do Engenhão no intervalo de Botafogo x Palmeiras. Pois Scolari cumpria seu segundo jogo de suspensão por ter ofendido a arbitragem em jogo contra o Atlético-MG, pela 13ª rodada do Nacional.

Fernando Soutello/Divulgação
Sequência da agressão de Scolari
Sequência da suposta agressão de Scolari ao fotógrafo Fernando Soutello

O tribunal também já procura imagens de suposta agressão de Scolari contra o fotógrafo Fernando Soutello, enquanto estava no elevador.

Em nota, o técnico nega que tenha sequer tocado a câmera ou o próprio fotógrafo. “O fotógrafo pôs a mão para impedir que a porta do elevador se fechasse. Neste momento, Scolari pôs a mão na frente da lente para que o fotógrafo parasse de tirar as fotos”, diz o comunicado.

À Folha o fotógrafo disse que foi orientado pela agência em que trabalha a não falar sobre o assunto. No entanto, a legenda que acompanhou as imagens enviadas por ele, horas após o episódio, diz que Scolari o agrediu.

Segundo o procurador-geral do STJD, Paulo Schmitt, o tribunal buscará imagens sobre a suposta agressão.

Ele também afirmou que vai analisar, com outros procuradores, se Scolari poderia ou não permanecer no vestiário, já que estava suspenso.

“Scolari foi suspenso por dois jogos, e não por dias. Não fica claro no Código Brasileiro de Justiça Desportiva se, neste caso, ele poderia ou não permanecer no estádio. Vamos analisar o texto.”

O Palmeiras, em nota, informou que Scolari só não poderia assinar a súmula ou entrar em campo. “A suspensão foi em jogos. Se fosse em dias, aí sim seria diferente”, afirmou Sérgio do Prado, gerente administrativo do clube.

Ser julgado pelo órgão virou rotina para Scolari.

Além desta recente punição, também foi suspenso pelo TJD-SP após expulsão no clássico contra o Corinthians, pelo Paulista –vai cumprir a punição no Estadual de 2012.

E, no ano passado, foi expulso contra Atlético-PR e São Paulo, também por supostas ofensas aos árbitros. Nestes dois casos, foi julgado e apenas advertido.

Desde então, Scolari tem reclamado de perseguição dos árbitros. Contra o Vasco, pela Sul-Americana, ele recusou-se a ficar no banco, já que Roberto Braatz, seu desafeto, seria um dos auxiliares.

O Palmeiras volta a jogar domingo, contra o Cruzeiro no Pacaembu, com a volta de Scolari no banco de reservas.

Fonte: Folha.com

Sobre o editor

Willames Costa
Wíllames Costa
Editor

Instagram

Parceiros do blog