Viúva de milionário da Mega-Sena vai a júri amanhã no Rio

A viúva e outros três acusados de matar o ganhador da Mega-Sena René Senna começam a ser julgados nesta terça-feira (4) na 2ª Vara de Rio Bonito (RJ).

Além da viúva –Adriana Ferreira Almeida–, serão julgados Janaína Silva de Oliveira, Ronaldo Amaral de Oliveira e Marco Antônio Vicente.

De acordo com o TJ (Tribunal de Justiça), a previsão da juíza Roberta dos Santos Braga Costa é que o júri dure três dias.

Reprodução
O ganhador da Mega-Sena assassinado, René Senna, e a viúva, Adriana Ferreira Almeida
O ganhador da Mega-Sena assassinado, René Senna, e a viúva, Adriana Ferreira Almeida

O ex-trabalhador rural René Senna foi morto em Rio Bonito (74 km do Rio) em 7 de janeiro de 2007, um ano e meio após ele ganhar R$ 51,8 milhões na Mega-Sena.

Em julho de 2009, os ex-seguranças Anderson Silva de Sousa e Ednei Gonçalves Pereira foram condenados a 18 anos de prisão cada um por envolvimento no crime. Na ocasião, a defesa alegou inocência dos réus.

A viúva de Senna é acusada de ter encomendado a morte do marido. Ela também nega o crime.

CRIME

Senna foi assassinado com quatro tiros na porta de um bar. De acordo com a polícia, o crime foi motivado pelo interesse de Adriana em ficar com parte da fortuna.

Segundo a denúncia, ele foi surpreendido e não teve chance de fugir –ele tinha as duas pernas amputadas em consequência de diabetes.

Para a acusação, os dois homens já condenados fugiram após o crime levando uma bolsa da vítima com dinheiro e uma arma. Segundo a polícia, os disparos foram efetuados por Sousa, que fugiu na garupa da moto dirigida por Pereira.

Os policiais militares Ronaldo Amaral de Oliveira e Marco Antônio Vicente estariam em um carro apoiando a ação. Janaína –mulher de Sousa e amiga de Adriana– também teria ajudado na ação.

Com a Folha.com

Sobre o editor

Willames Costa
Wíllames Costa
Editor

Instagram

Parceiros do blog