Willames Costa

Compromisso com a informação

Tocantins

Amilton pede cargos e congela pagamentos

O novo prefeito de Araguaína, Amilton da Caixa, concedeu coletiva nesta terça, 8, e adiantou algumas das primeiras medidas à frente do cargo. Durante reunião com o secretariado no início da manhã o prefeito recém empossado pediu que os secretários entreguem os cargos e determinou que todos os pagamentos sejam suspensos até que sejam feitos levantamentos sobre os gastos da prefeitura.

Amilton informou também que a Prefeitura de Araguaína trabalhará em expediente normal e que não haverá ponto facultativo ou apenas expediente externo. Sobre os pagamentos a fornecedores e prestadores de serviços, ele frisou que só voltarão a ser pagos assim que for feito um levantamento minucioso em todas as secretarias, principalmente naquelas que são alvos das denúncias do Ministério Público Estadual.

Os secretários deverão conversar com o novo prefeito individualmente, avaliando o trabalho realizado até agora e as medidas a serem tomadas. Amilton ressaltou ainda que deve haver cautela no que diz respeito aos pagamentos, já que poderá responder por estes atos posteriormente. As decisões sobre permanência ou substituições nas secretarias serão gradativas e analisadas individualmente.

Uma das expectativas é que os secretários apontados como suspeitos nos processos e investigações do Ministério Público sejam substituídos imediatamente.

Valuar
O prefeito afastado da Prefeitura de Araguaína, Felix Valuar Barros, afirmou nesta terça, 8, em entrevista à imprensa que vai recorrer da decisão que determinou sua saída do cargo. Para Valuar, as alegações apontadas nas ações que motivaram a decisão do juiz Alvaro Nascimento Cunha não seriam suficientes para que fosse afastado. Ele afirmou ainda ter ficado surpreso com a decisão e que não recebeu nenhuma notificação para que pudesse apresentar defesa.

Valuar Barros declarou ser inocente e que está recolhendo informações para preparar os recursos necessários tanto no Tribunal de Contas do Estado, que considerou irregulares diversas prestações de contas, quanto na Justiça Estadual para que possa retornar à administração da cidade.

Fonte: http://www.agora-to.com.br

LEAVE A RESPONSE

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *