Willames Costa

Compromisso com a informação

Brasil

Após desabamento em SP, Secretaria da Cultura paralisa obras

O secretário da Cultura de São Paulo, Andrea Matarazzo, determinou nesta quinta-feira a paralisação das obras de duas Fábricas de Cultura na cidade de São Paulo.

Número de feridos em queda de laje em SP chega a 11

Editoria de Arte/Folhapress

O motivo foi odesabamento de uma laje na obra de uma futura unidade na avenida General Penha Brasil, na Vila Nova Cachoeirinha, na zona norte.

O operário Nivaldo Rodrigues da Silva, 33,morreu na hora. Outras 11 pessoas que estavam em cima da laje no momento do acidente ficaram feridas.

A obra é de responsabilidade da construtora Ubiratan, que também constrói a Fábrica de Cultura de Cidade Tiradentes, na zona leste. Matarazzo disse que as duas obras serão interrompidas até o esclarecimento do caso.

FERIDOS

Seis dos feridos foram socorridos pelo Samu (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência) e Corpo de Bombeiros e encaminhados a hospitais da região. Outros cinco feridos foram resgatados por pessoas que estavam no local no momento do acidente.

A laje desabou no momento que era feita a concretagem do edifício destinado ao teatro da futura Fábrica de Cultura Brasilândia, em construção desde 2009 e com previsão de abertura para abril. O investimento do governo foi de R$ 13,2 milhões.

Robson Ventura/Folhapress
Laje da construção do prédio da Secretaria de Cultura desabou na tarde de hoje
Laje da construção do prédio da Secretaria de Cultura que desabou na tarde de hoje e deixou morto e feridos

Com cerca de 300 m², a laje desabou de uma altura de 27 metros, quando 60 operários trabalhavam no local –12 deles em cima da estrutura que ruiu.

Catorze equipes dos bombeiros foram deslocadas para atender a ocorrência, com apoio do helicóptero Águia, da Polícia Militar, e de uma viatura de suporte avançado.

Além do atendimento às vítimas, as equipes dos bombeiros tiveram que escorar a estrutura remanescente para evitar novos acidentes. Em seguida, teve início uma inspeção da Defesa Civil.

Segundo Matarazzo, o Crea (Conselho Regional de Engenharia, Arquitetura e Urbanismo) também será convidado para avaliar o acidente.

E nota, a secretaria lamentou o acidente e informou que o contrato assinado com a construtora estipula que a responsabilidade pela segurança da obra é da Ubiratan. Nenhum representante da empresa foi localizado pela reportagem.

Com a Folha.com

LEAVE A RESPONSE

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *