Willames Costa

Compromisso com a informação

Brasil Destaque

Após rompimento de dique no Rio, enxurrada invade bairro de Campos

A água do rio Muriaé começou a chegar no início da tarde desta quinta-feira nas casas do bairro Três Vendas, em Campos dos Goytacazes, no norte fluminense, segundo informações da Defesa Civil do município.

Leia mais notícias sobre as chuvas
Parte dos moradores de bairro alagado no Rio tenta ficar em casa
Saúde libera R$ 350 mil para cidades alagadas no Rio
Governo reabre verbas de 2011 para combate a enchentes
Rodovias federais continuam interditadas pela chuva em MG
Minas tem 71 cidades em emergência devido às chuvas

Cerca de 4.000 pessoas afetadas deveriam deixar a região hoje por causa da elevação do nível das águas do rio, que provocou o rompimento de um dique (barragem para conter a água de rios) e formou uma cratera de mais de 20 metros na rodovia BR-356, no trecho que liga Campos a Itaperuna.

Porém, parte dos moradores decidiu ficar no segundo andar ou em lajes de casas. Eles temem que pertences sejam furtados durante a noite.

Segundo o engenheiro Luiz Alberto Ribeiro Gomes, da Defesa Civil municipal, a previsão é de que a área esteja submersa até o início da noite desta quinta-feira.

Divulgação/Prefeitura de Campo dos Goytacazes
Rompimento de dique abre cratera na BR-356 no RJ; moradores são retirados
Rompimento de dique abre cratera na rodovia BR-356, em Campos dos Goytacazes, no Rio; veja galeria

“O dique-estrada está localizado a 600 metros da comunidade de Três Vendas. Pelos nossos cálculos, a água deve invadir toda a localidade até as 18h ou 19h”, afirmou àFolha o engenheiro.

Até as 17h, moradores ainda estavam sendo retirados do local por homens do Corpo de Bombeiros, da Defesa Civil e do Exército. Duas aeronaves foram enviadas pelo governo estadual para auxiliar na evacuação.

A orientação é para que os moradores buscassem abrigo em morros locais, de onde seriam resgatados. O secretário municipal de Defesa Civil, Henrique Oliveira, pediu que as pessoas evitem ficar no segundo andar de suas casas.

Segundo o coordenador da Defesa Civil Municipal, major Edson Braga, 1.200 famílias foram afetadas na região, que era separada do rio Muriaé pelo dique. Todos estavam sendo levados para abrigos e escolas públicas de bairros próximos.

Editoria de Arte/Folhapress

“Estamos trabalhando preventivamente para remover as pessoas em tempo hábil para evitar maiores prejuízos. A gente calcula que toda a comunidade de Três Vendas fique submersa a uns 2 metros de altura”, disse o major.

Segundo Braga, a erosão foi constatada por volta das 6h, por um agente da Defesa Civil que mora na localidade. “Não temos tempo de executar nenhuma ação agora. A estrada rompeu mesmo”, afirmou enquanto tentava convencer uma família a deixar sua casa na região.

O major explicou que o bairro de Três Vendas é protegido pelo dique. “Rompeu justamente no ponto onde foi feito um trabalho pelo Dnit (Departamento Nacional de Infraestrutura de Transporte) em 2009”, afirmou. “Vai encher toda a comunidade como ocorreu na enchente de 2008”.

Também há informações de problemas causados pelas chuvas em outros pontos da cidade devido à cheia do rio Paraíba do Sul, por onde desaguam os rios Muriaé e Pomba –cujas nascentes são em Minas Gerais.

De acordo com a Defesa Civil Municipal, além de Três Vendas, ao menos 590 pessoas estão desabrigadas na cidade (dependem de abrigos públicos). Ontem (4), o nível do rio Paraíba do Sul passou de 7 para 11 metros em Campos.

 

Com a Folha.com

LEAVE A RESPONSE

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *