Willames Costa

Compromisso com a informação

Mundo

Brasil e México querem acelerar livre comércio antes de eleições mexicanas

Brasil e México querem acelerar ao máximo a implementação de um acordo de livre comércio entre os dois países, proposto no ano passado, antes das eleições presidenciais mexicanas, em julho de 2012.

Em visita a São Paulo nesta quarta-feira, a chanceler mexicana, Patricia Espinosa, e o Secretário de Economia, Bruno Ferrari, acordaram com o ministro das Relações Exteriores, Antonio Patriota, um calendário de encontros bimestrais para fazer avançar o Acordo Estratégico de Integração Econômica entre os dois países.

Moacyr Lopes Júnior/Folhapress
Chanceler Antonio Patriota (dir.) e sua colega mexicana, Patricia Espinosa, querem avançar livre comércio bilateral
Patriota (dir.) e sua colega mexicana, Patricia Espinosa, querem avançar livre comércio entre os dois países

Segundo Patriota, o texto deverá ser “mais ambicioso e abrangente” do que acordos de complementação econômica já existentes entre o México e o Brasil e o Mercosul, que preveem preferências tarifárias, e permitem, por exemplo, a isenção do país da América do Norte do aumento no IPI (imposto sobre produtos industrializados) de automóveis.

“Estão envolvidos temas como acesso a mercados, questões regulatórias, solução de controvérsias”, disse o ministro brasileiro.

A ideia do acordo é abolir barreiras tarifárias e não tarifárias no comércio bilateral em todos os setores. Para o Brasil, o interesse é maior nas áreas petroquímica, siderúrgica, têxtil, de agronegócios e de móveis.

“Nestes trabalhos, serão considerados os interesses e perspectivas que possam existir por parte dos setores produtivos dos dois países”, disse Ferrari. “Brasil e México são as economias mais importantes na América Latina e, por consequência, acordamos que o processo que sigamos será exemplar”, completou.

Os ministros dos dois países também conversaram sobre uma possível visita bilateral da presidente Dilma Rousseff ao México em 2012. Em junho, ela deverá comparecer à reunião do G20, no país.

Com a Folha.com

LEAVE A RESPONSE

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *