Willames Costa

Compromisso com a informação

Esporte

Campeã mundial, Murer treina na ‘várzea’ para saltar no Pan

Um campo com gramado sintético improvisado em meio à grama natural, uma pista de atletismo com irregularidades, aparelhos de ginástica improvisados.

Esse é o local de treinos da campeã mundial do salto com vara, Fabiana Murer, 30, uma das principais estrelas do Pan de Guadalajara.

“Não estamos estruturados para o que temos, uma campeã mundial”, disse o técnico de Murer, Elson Miranda.

Campeã mundial em pista aberta, este ano, e indoor, em 2010, a saltadora treina há quase dois anos em um complexo que está sendo erguido pelo seu clube em São Caetano do Sul. O centro ainda está em construção -deve ficar pronto no início de 2012.

Diego Azubel – 30.ago.11/Efe
Atleta do salto com vara, Fabiana Murer é uma das principais esperanças de mealha
Atleta do salto com vara, Fabiana Murer é uma das principais esperanças de mealha

Outra dificuldade é a locomoção de atleta e técnico, que são casados. Os dois moram perto do parque Ibirapuera, em São Paulo, onde treinavam até sua equipe mudar para uma casa própria.

Agora, perdem cerca de duas horas por dia para os treinos em dois períodos.

“Foi bom porque a BM&F [equipe de Murer] resolveu investir, construir uma pista coberta. Mas vou pegar um período curto desse investimento. Os mais novos vão ter condições bem melhores do que eu tive”, declarou Murer.

Treinando em São Caetano do Sul, a campeã mundial acredita que teve perdas até na parte técnica de seu salto.

“Fui campeã mundial duas vezes. Mas, lá no Ibirapuera, era muito melhor. Não me preocupava com o vento, me preocupava com a técnica”, declarou a saltadora.

“[Em São Caetano], é mais complicado. O treino de técnica é um pouco mais longo porque preciso esperar o vento bom. Perdi um pouco em relação à técnica, não tive a tranquilidade de treinar tão bem”, completou Murer.

Apesar disso, a atleta, que quase não foi para o Pan, é o grande destaque da delegação brasileira no atletismo.

“Pensei em não ir. Mas estou bem, não estou cansada. Se não tivesse condição, não iria”, afirmou a saltadora.

Ouro no Pan do Rio, em 2007, e favorita neste ano -a americana Jennifer Suhr, sua principal rival, desistiu de competir em Guadalajara-, Murer não se sente imbatível.

“Não sou a Ielena Isinbaieva [campeã e recordista olímpica e mundial], que ganhava todas.”

Com a Folha.com

LEAVE A RESPONSE

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *