Willames Costa

Compromisso com a informação

Destaque Mundo

Cardeais já escolheram o novo Papa

Fiéis esperam nesta quarta-feira, no Vaticano, o resultado do conclave que elegerá o novo papa. EFE
Fiéis esperam nesta quarta-feira, no Vaticano, o resultado do conclave que elegerá o novo papa. EFE

O conclave escolheu nesta quarta-feira (13) o novo Papa, sucessor de Bento XVI à frente da Igreja Católica Apostólica Romana.

A fumaça branca se ergueu da chaminé no teto da Capela Sistina, no Vaticano, indicando que os cardeais já escolheram o nome do novo líder dos católicos.

conclave, votação secreta que escolhe o novo pontífice, foi convocado após a renúncia de Bento XVI, anunciada em 11 de fevereiro e concretizada em 28 de fevereiro.

Bento XVI saiu alegando que não tinha mais forças para a tarefa de liderar a igreja. Seupontificado foi marcado por várias crises, pelo escândalo do acobertamento da pedofilia e pelo vazamento de documentos secretos no chamado escândalo VatiLeaks.

O sucessor de Bento XVI deve ser conhecido cerca de 45 minutos após a aparição da fumaça branca. Seu nome deve ser anunciado pelo protodiácono, o mais velho dos cardeais eleitores, o francês Jean-Louis Tauran, da sacada do Palácio Apostólico.

Dez minutos depois, o novo Papa vai dar a primeira bênção “urbi et orbi” (para a cidade de Roma e para o mundo) de seu pontificado.

O conclave ocorreu após dez congregações gerais de cardeais, nas quais os problemas da igreja foram debatidos exaustivamente, em meio a muitas especulações e conversas de bastidores sobre os prováveis papáveis.

A imprensa italiana afirmou que um dos principais temas das congregações foi um dossiê preparado no ano passado, a pedido do hoje Papa Emérito Bento XVI, sobre irregularidades na Cúria Romana. Cardeais estariam pressionando pelo acesso ao documento. Questionados abertamente, o Vaticano e cardeais minimizaram a importância do documento.

Na manhã de terça-feira (12), foram realizados os primeiros ritos do conclave. A partir das 7h (3h no horário de Brasília), os cardeais começam a se transferir para a Casa Santa Marta, onde ficarão hospedados. Cada um terá seu quarto – os aposentos foram definidos por um sorteio.

Às 10h (6h no horário de Brasília), foi realizada na Basílica de São Pedro a missa inaugural do conclave.

Votações
No primeiro dia de conclave, houve uma votação, inconclusiva.

O cronograma prevê que os cardeais concluam os trabalhos às 19h15 (15h15 no horário de

A missa de inauguração do pontificado pode ocorrer durante um dia de semana, segundo o padre Lombardi, e não necessariamente no domingo.

Em 2005, o Papa foi eleito em uma terça, e a missa ocorreu no domingo seguinte.

O padre Lombardi advertiu que não é obrigatório haver votação na primeira tarde de conclave, já que estão previstas as orações e os juramentos. Se os cardeais decidirem votar apenas na quarta-feira, não haverá “fumaça” no primeiro dia, e o Vaticano vai informar sobre o ocorrido.

Brasileiros
Cinco brasileiros irão participar do conclave: o arcebispo emérito de São Paulo, Dom Claudio Hummes, de 78 anos, Dom João Braz de Aviz, de 65, o arcebispo de São Paulo, Dom Odilo Pedro Scherer, de 63, Dom Geraldo Majella Agnelo, cardeal arcebispo emérito de Salvador, e o arcebispo de Aparecida e presidente da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB),Dom Raymundo Damasceno.

Neste domingo, alguns cardeais celebraram missas nas igrejas das quais são titulares em Roma. Dom Odilo celebrou uma missa às 10h30 na Igreja de Santo André no Quirinal, acompanhada por dezenas de jornalistas.

Realizada no quarto domingo do período da Quaresma, que precede a Páscoa, o assunto geral dos textos lidos e também do sermão feito por Dom Odilo foi a misericórdia e a reconciliação com Deus. O cardeal brasileiro estava sereno e tranquilo, e sorriu em muitos momentos da missa – mesmo a celebração tendo sido filmada e fotografada.

“Tem muita gente que vive como se Deus não existisse ou não tivesse importância”, afirmou durante o sermão que durou 22 minutos. “Convido a orar para a Igreja fazer bem sua missão nesse tempo. Seguramente um tempo difícil, mas também alegre”.

Capela Sistina
No sábado, bombeiros instalaram uma chaminé na Capela Sistina, onde será realizado o conclave. Pela chaminé sairá a fumaça preta ou branca, para o anúncio da definição ou não do novo papa. No fim de semana, funcionários do Vaticano trabalharam para deixar o local pronto, fazendo o nivelamento do piso, instalando mesas e cadeiras, entre outros.

A capela está fechada para a visitação turística desde a última terça-feira (5). Decorada com afrescos dos maiores artistas do Renascimento, como Michelangelo e Rafael, ela fica dentro da ala de museus do Palácio Apostólico, na Cidade do Vaticano.

Durante o período das votações, os cardeais não poderão receber informações externas durante a reunião, nem poderão ler jornais, ouvir rádio, assistir à TV ou acessar a internet, como prevê a Constituição Apostólica.

Para garantir o sigilo do conclave, serão instalados bloqueios de comunicação para impedir o uso de equipamentos e dispositivos eletrônicos, como celulares. A medida já foi tomada com relação à Sala dos Sinodos, onde têm ocorrido as congregações, garantindo o segredo das reuniões.

Renúncia de Bento XVI
Bento XVI, desde 28 de fevereiro Papa Emérito, anunciou em 11 de fevereiro que havia decidido renunciar. Foi o primeiro pontífice a renunciar em mais de seis séculos, o que criou situações praticamente inéditas para a Igreja Católica Apostólica Romana.

Desde a renúncia, Bento XVI está em Castel Gandolfo, a residência de verão dos Papas, que fica a cerca de 25 km do Vaticano. Ele permanecerá lá por 2 meses e depois ficará recluso num antigo convento sobre as colinas do Vaticano, com vista para a cúpula da Basílica de São Pedro.

(*) Com agências internacionais

Fonte: Do G1

LEAVE A RESPONSE

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *