Willames Costa

Compromisso com a informação

Destaque Pernambuco

Chuva traz alegria e estragos para o Sertão pernambucano

Apesar da água ter alegrado a população sertaneja, os ventos chegaram a provocar sérios estragos em Afogados da Ingazeira Foto: NillJunior / MaisPajeu / ItamarFrança
Apesar da água ter alegrado a população sertaneja, os ventos chegaram a provocar sérios estragos em Afogados da Ingazeira
Foto: NillJunior / MaisPajeu / ItamarFrança

O Sertão pernambucano tem previsão positiva para o período de chuvas que atinge a macrorregião no início do ano. Indícios para confirmar a estimativa foram vistos essa semana em cidades como Ouricuri e Trindade, onde nos últimos três dias chegou a chover em um dia o esperado para um mês. Apesar da água ter alegrado a população sertaneja, os ventos chegaram a provocar sérios estragos. Em Afogados da Ingazeira, casas tiveram seus telhados arrancados e as ruas ficaram alagadas.

A incidência de chuvas no Sertão teve início no sábado (15), intensificando no domingo e segunda-feira. Santa Cruz, Salgueiro, Cabrobó, Orocó, Parnamirim, Araripina, Exu, Araripina e Belém do São Francisco registraram precipitação. Segundo a Cordenadoria de Defesa Civil de Pernambuco (Codecipe), os municípios de Ouricuri e Trindade tiveram 100 milímetros de água entre domingo e segunda-feira. Afogados da Ingazeira teve 66 milímetros.

Em Afogados da Ingazeira, os estragos ficaram bastante visíveis com 30 minutos de chuva na tarde da última segunda-feira (17). O vento pôs abaixo uma casa, o muro do Estádio Municipal Vieirão, arrancou placas de lojas, telhados e árvores. O IFPE da cidade teve 50% da cobertura afetada pela chuva. Ruas ficaram alagadas e carros foram arrastados pela correnteza. Moradores relataram que a rede elétrica produziu descargas com fogo, mas não há informações de feridos.

Ventos arrancaram árvore em Afogados da Ingazeira – Foto: NillJunior / MaisPajeu / ItamarFrança

Na Rua Augusto Cerquinha, uma obra da prefeitura de Afogados prejudicou a drenagem pluvial. A água invadiu algumas casas, já que bueiros e corregos não suportaram a intensidade da chuva. Árvores caíram sobre a fiação e o Corpo de Bombeiros precisou ser acionado para evitar acidentes. Os afogadenses chegaram a ficar sem energia durante alguns minutos. A queda de energia durou duas horas nos municípios de Itapetim, Tabira, São José do Egito, Brejinho, Santa Terezinha e Tuparetama

Em Trindade, a chuva alagou um posto de gasolina, onde os moradores precisaram atravessar um cano na BR-316 para escoar a água. A Polícia Rodoviária Federal (PRF) auxiliou na ação.

Chuva alagou posto de gasolina em Trindade – Foto: Blog do Bruno Morais

Há algumas explicações para esse temporal. A Agência Pernambucana de Águas e Climas (Apac) creditou as chuvas à vinda de zona de umidade do centro do País para Pernambuco. O escoamento de ventos trouxe as nuvens com chuva e, nos próximos dias, haverá monitoramento para entender o fenômeno.

O Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet-PE) considera normal a ocorrência das chuvas entre dezembro e abril no Sertão. “Se não chover nesse período, fica mais difícil chover depois. O problema é quando as chuvas de um mês acontecem em um dia, porque prejudica a previsão”, disse o comunicado do Inmet.

Em janeiro, o Inmet classificou que o índice de precipitação foi deficitário e com as recentes chuvas, fevereiro subiu na avaliação. O ideal é que nos municípios sertanejos continue chovendo durante um período de 14 dias, para abastecer os reservatórios da agricultura. A previsão do tempo para esta terça-feira na região é de 18 a 34 graus, com umidade entre 40% e 95% do começo ao fim do dia.

Internauta registra chuva em Ouricuri – Foto: Blog do Bruno Morais/Deyvid Nogueira

Do JC Online

LEAVE A RESPONSE

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *