Willames Costa

Compromisso com a informação

Esporte

COI confirma que recebeu carta de renúncia de Havelange

O Comitê Olímpico Internacional (COI) confirmou nesta segunda-feira que o presidente da entidade, Jacques Rogge, recebeu a carta de renúncia do brasileiro João Havelange, membro da instituição que organiza das Olimpíadas.

“O COI confirma que recebeu a carta de demissão do senhor João Havelange como membro do COI”, disseram fontes para a Folha.

Alexandre Durão-23.jun.2008/Folhapress
O ex-presidente da Fifa, João Havelange
O ex-presidente da Fifa, João Havelange

Mais cedo, a Fifa confirmou que Havelange, 95, renunciou ao comitê olímpico. “Sobre a Fifa, é importante ressaltar que João Havelange foi nomeado presidente de honra pelo Congresso da Fifa em 8 de junho de 1998. A Fifa não pode especular sobre qualquer decisão tomada pelo sr. Havelange”, diz nota da entidade que dirige o futebol mundial.

Ex-sogro do presidente da CBF, Ricardo Teixeira, Havelange era membro da entidade olímpica há 48 anos e era um dos homens mais influentes do esporte mundial. O brasileiro apresentou sua carta de renúncia na última quinta-feira.

A entidade que dirige o futebol mundial, e que Havelange foi presidente, informou em nota que “recebeu a renúncia e que o COI fechou o caso”.

Havelange, membro do COI desde 1963, está sob investigação por supostamente receber um pagamento de US$ 1 milhão (cerca de R$ 1,7 milhão) da ISL. Dois outros integrantes do COI, Lamine Diack e Issa Hayatou, também estão sob investigação, mas devem sofrer sanções menores.

A suspensão de dois anos ou até mesmo a possível expulsão era esperada na reunião da próxima quinta-feira no conselho executivo do COI, em Lausanne, na Suíça.

Com sua renúncia, o caso de ética contra ele deverá ser arquivado.

O comitê executivo do COI vai se reunir esta semana para discutir as investigações do comitê de ética sobre os três membros e anunciar eventuais punições, que podem ir desde a suspensão temporária até a exclusão da entidade olímpica.

O COI tem empreendido uma campanha de combate à corrupção após o escândalo de subornos de Salt Lake City, que resultou na expulsão de quatro membros da entidade que receberam dinheiro em troca de votar na cidade norte-americana como sede dos Jogos Olímpicos de Inverno de 2002.

Com a Folha.com

LEAVE A RESPONSE

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *