Willames Costa

Compromisso com a informação

Destaque Goiás Política

Comissão provisória muda só em março

Depois da turbulenta transição no PMDB de Goiânia, por conta da dissolução do diretório metropolitano, o partido decidiu prorrogar o prazo de vigência na Comissão Provisória do Diretório Metropolitano.
A Comissão, que teria até o dia 10 de janeiro de 2012 para estabelecer regras para a eleição dos novos componentes do diretório, terá fôlego até março, ou mesmo abril, segundo informou ao O HOJE o deputado estadual Wagner Siqueira.
O parlamentar assumiu o comando do Metropolitano, no início de outubro deste ano, com a dissolução do diretório. O então presidente Emival Oliveira foi retirado da função sob o argumento de que teria se omitido em relação à infidelidade de vereadores que manifestaram apoio ao então candidato a governador, Marconi Perillo (PSDB), em detrimento de Iris Rezende (PMDB).
Mas a defenestração de Emival do diretório tem a ver com a posição da tese que ele defendia: a de que o partido deveria lançar candidato a prefeito, no ano que vem, para não se tornar refém de Paulo Garcia (PT).
Defensor intransigente do apoio à reeleição do petista, manifestado em abril de 2010, Iris Rezende entrou no processo e fomentou a dissolução do diretório, por meio dos vereadores do partido, em Goiânia.
Consenso
Wagner Siqueira, cogitado para presidir o diretório, espera que o processo de escolha do novo dirigente se dê de forma consensual, evitando disputas internas. Para ele, a preocupação deve ser com a formação de uma chapa forte de vereadores na capital. “Vamos discutir a formação da chapa com os vereadores”, disse.
Sobre a discussão dentro do PT, de lançamento de três chapas dos partidos que apoiam Paulo Garcia – uma pelos petistas, outra pelo PMDB e uma terceira pelos demais partidos aliados – Wagner opina. “É preciso ver o que é mais interessante para cada partido.”  (V.P.)

Com ohoje.com.br

LEAVE A RESPONSE

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *