Willames Costa

Compromisso com a informação

Brasil

Conselho de Ética faz nova eleição e confirma Valadares na presidência

O Conselho de Ética do Senado realizou nesta quinta-feira (12) nova eleição para a presidência do conselho depois de questionamento feito pelo senador Demóstenes Torres (GO).  Acordo feito pelos líderes partidários, definiu como único nome indicado o cargo o senador Antonio Carlos Valadares (PSB-SE), que já havia assumido o cargo na última terça-feira (10).

Regimentalmente, a vaga pertence ao PMDB, partido que tem a maior bancada no Senado. Após a eleição de Valadares, o PMDB chegou a anunciar que indicaria outro nome, mas não conseguiu um senador para o cargo até esta quinta. Pela manhã, o líder do partido, Renan Calheiros, já havia informado que Valadares seria mantido no cargo.

Em sua primeira fala após o auge das denúncias de elo com o bicheiro Carlinhos Cachoeira, Demóstenes Torres, que responde a um processo por quebra de decoro parlamentar, questionou o trâmite para escolha do presidente do conselho.

“O senhor tem história política para levar adiante esta investigação com competência. […] O que se percebe é que os artigos 24 e 88 não foram cumpridos. E não obstante Vossa Excelência ter todos os atribudos morais, tem o meu aplauso, mas é fato que as ordens regimentais têm de ser cumpridas. Não há eleição de presidente interino. Todas as eleições nesta Casa são para cumprir o mandato totalmente ou remanescente. Isto é claro”, disse Demóstenes.

Demóstenes disse que gostaria apenas que o conselho realizasse a eleição para referendar o nome de Valadares no cargo. “Eu gostaria que o conselho escolhesse, conforme o regimento, e que este presidente seja Vossa Excelência [Valadares] para evitar de ficar discutindo regimento.”

Valadares tomou posse na segunda-feira, por ser o mais idoso integrante, uma vez que o PMDB, partido que tem a maior bancada, não conseguiu indicar um nome para o cargo. No começo da reunião desta quinta, o líder do PMDB no Senado, Renan Calheiros, afirmou que o partido não indicaria um nome do PMDB e que defendia a manutenção de Valadares no cargo.

A eleição para presidente foi feita de forma nominal. O corregedor do Senado, Vital do Rêgo (PMDB-PB), chamou cada um dos integrantes do conselho para votar. A votação se deu após a escolha do relator do caso. Por sorteio, Humberto Costa (PT-PE) foi o escolhido para relatar a investigação sobre Demóstenes Torres. Antes de Costa, outros cinco senadores foram sorteados e recusaram o cargo.

Fonte: Do G1, em Brasília

LEAVE A RESPONSE

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *