Willames Costa

Compromisso com a informação

Esporte

Corinthians joga contra retrospecto ruim nos jogos de ida dos mata-matas

SPFW 2012O Corinthians faz nesta quarta-feira à noite seu primeiro jogo mais importante desta Libertadores. Talvez até mais determinante que a partida de volta. A história do clube na competição mostra que são os jogos de ida do mata-mata que interrompem o sonho de conquistar a América.

Contra o Emelec, em Guayaquil, no Equador, a equipe de Tite começa a disputar as oitavas de final, justamente a fase que mais vezes eliminou o Corinthians. E testa a frieza do time, que sofreu mudanças nas duas posições mais importantes –goleiro e centroavante–, para voltar a São Paulo com um bom resultado.

O jogo de volta é na próxima quarta-feira no mesmo Pacaembu que há dez dias viu sua queda no Campeonato Paulista. Esta é a décima Libertadores do Corinthians. Nas outras nove edições, em oito o time foi eliminado em mata-mata; destas, em sete o Corinthians tropeçou na ida e não conseguiu se classificar.

Robson Ventura-21.abr.2012/Folhapress
O técnico Tite comanda um treino do Corinthians
O técnico Tite comanda um treino do Corinthians

O mais recente foi ano passado. O empate sem gols no Pacaembu contra o Tolima, na fase classificatória, custou caro ao time, que perdeu por 2 a 0 na partida de volta. Também não conseguiu a vaga após perder nas partidas de ida contra Grêmio, Boca Juniors, Palmeiras, em 1999, River Plate e Flamengo.

Na história do torneio, o Corinthians disputou 12 mata-matas. Apenas dois venceu na ida. Classificou-se quatro vezes, a última em 2000, quando tirou o Atlético-MG nas quartas, mas foi eliminado pelo Palmeiras na semi.

“Temos a consciência de que os 180 minutos terão um caráter decisivo. O torcedor também sabe disso”, disse Tite. “Cada caso é um caso, precisamos ter um cuidado para não generalizar”, completou, ao comentar o histórico de eliminações do clube.

Nesta edição, o Corinthians faz campanha quase irretocável. Fez a segunda melhor campanha na fase inicial, com quatro vitórias e dois empates, além de ter a melhor defesa. São nestes números, e não no histórico do torneio, que Tite se debruça.

“São estatísticas, isso é passado. O trabalho é o importante agora. A campanha que fizemos faz com que cheguemos nesta fase fortalecidos. Houve o tropeço num jogo só com a Ponte, sentimos. Mas vamos tentar retomar o nosso padrão normal, apresentar nossa consistência. Fazer um belo jogo e trazer um bom resultado”, afirmou.

Terça-feira, Tite voltou a falar sobre sua matemática para avançar às quartas de final. “Prefiro voltar a São Paulo com uma derrota por 2 a 1 do que com um empate em 0 a 0”.

A declaração repercutiu na imprensa local. Ambos os resultados obrigariam o Corinthians a vencer em casa para, no mínimo, levar a decisão para os pênaltis. Por isso parece ser um fator mais psicológico do que lógico. Talvez na cabeça de Tite empatar fora de casa sem gols pode acomodar seu time para a partida em São Paulo.

“Temos peças de reposição que permitem viradas. Temos um técnico campeão da Sul-Americana, da Copa do Brasil, temos experiência em mata-mata e de saber administrar esses momentos”, disse, colocando-se como exemplo.

editoria de arte/folhapress
Os times que já causaram problemas para o Corinthians em jogos de ida
Os times que já causaram problemas para o Corinthians em jogos de ida

Fonte: Da Folha.com

LEAVE A RESPONSE

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *