Willames Costa

Compromisso com a informação

Bahia

Corpo de jovem morta após cair de parapente é enterrado na BA

Cerca de 200 pessoas entre amigos e familiares participaram do enterro do corpo da nutricionista Priscila Boliveira, 24, irmã do ator Fabrício Boliveira, na manhã desta quarta-feira, no cemitério Jardim da Saudade, em Salvador. A jovem morreu no último domingo após cair de cerca de 30 metros de altura de um parapente durante um voo na praia de São Conrado, zona sul do Rio.

Relatório culpa instrutor por acidente de parapente no Rio
Instrutor de parapente é indiciado sob suspeita de homicídio
Irmão de morta ao cair de parapente diz que câmera do voo sumiu

Segundo a assessoria de Fabrício Boliveira, o artista está muito abalado e, por enquanto, prefere não falar do assunto. A família do ator pediu privacidade à imprensa e não permitiu registro de imagens do enterro, que ocorreu por volta das 10h.

Ontem, relatório do CSVL (Clube São Conrado de Voo Livre) culpou o instrutor Allan Figueiredo por negligência no acidente que levou à morte da nutricionista.

De acordo com o relatório, assinado pelo presidente da entidade, Carlos Trota, o instrutor não fez a checagem das travas de segurança da selete –espécie de cadeirinha que acomoda o passageiro do voo duplo. O clube é responsável pelos voos de asa delta e parapente na rampa da Pedra Bonita, em São Conrado.

A instituição afirma que Figueiredo não fechou as travas de cada perna. Após a decolagem, a selete subiu e Priscila ficou presa apenas pelas axilas.

Com pouco mais de dois minutos de voo, ela despencou na areia da praia de São Conrado. Na segunda-feira (26), o delegado Fábio Barucke indiciou o instrutor sob a acusação de homicídio culposo (quando não há intenção de matar) por negligência.

Folha tentou contato com o advogado Marco Aurélio Gomes Araújo, responsável pela defesa de Alan Figueiredo, mas não conseguiu localizá-lo.

Mesmo com a decisão de afastar o instrutor, o diretor do clube, Vinicius Cordeiro, disse que não há nada errado nos voos duplos (sua comercialização é proibida por regimento aeronáutico). Ele afirmou que todos os que voam são alunos. Para fazer o primeiro voo, Cordeiro disse que os alunos recebem uma aula de cerca de 20 minutos antes do salto.

Fonte: Da Folha.com

LEAVE A RESPONSE

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *