Willames Costa

Compromisso com a informação

Mundo

Delegações sul-coreanas se reúnem com novo líder da Coreia do Norte

Os chefes de duas delegações sul-coreanas se reuniram com o novo líder norte-coreano Kim Jong-un durante uma visita a Pyongyang nesta segunda-feira para prestar sua homenagem ao pai dele, Kim Jong-il, morto no dia 17, informou o Ministério da Unificação da Coreia do Sul.

A ex-primeira-dama da Coreia do Sul Lee Hee-ho, viúva do antigo presidente Kim Dae-Jung, se encontrou com o filho apontado como sucessor do ditador norte-coreano para oferecer suas condolências. Seul disse, porém, que a mulher se encontra em uma viagem particular e não apresenta uma mensagem do governo.

Um porta-voz afirmou que Lee e a chefe do grupo Hyundai, Hyun Jung-Eun, prestaram seus respeitos ao líder morto no Palácio Memorial Kumsusan e apresentaram suas condolências a Jong-un.

O marido morto de Lee começou uma política pioneira que ficou conhecida que “Sunshine Policy” (“política da luz do sol”, em tradução livre), numa tentativa de se relacionar com os norte-coreanos por meio de iniciativas diplomáticas.

France Presse
Ex-primeira-dama da Coreia do Sul Lee Hee-ho encontra autoridades norte-coreanas em Kaesong
Ex-primeira-dama da Coreia do Sul Lee Hee-ho encontra autoridades norte-coreanas em Kaesong

A viúva conheceu Kim Jong-durante uma conferência em 2000, e disse que esperava que sua visita à Coreia do Norte ajudasse a melhorar as relações na península. “Enquanto estava no poder, Kim Jong-il, enviou uma delegação com condolências a Seul quando meu marido morreu em 2009. Acredito ser nosso dever expressar nossas condolências também”, defendeu.

DELEGAÇÕES

As duas únicas delegações sul-coreanas autorizadas por Seul a viajar para a Coreia do Norte para dar seus pêsames pela morte do ditador Kim Jong-il, falecido no dia 17 de dezembro, cruzaram nesta segunda-feira a fronteira entre os dois países, segundo a agência de notícias sul-coreana Yonhap.

Pyongyang advertiu no domingo a Seul de consequências “catastróficas” nas relações bilaterais se não permitisse que os cidadãos sul-coreanos que desejassem expressar suas condolências pela morte de Kim se desloquem até a Coreia do Norte.

As duas comitivas somam no total 19 pessoas e estão lideradas respectivamente pela presidente do grupo Hyundai, Hyun Jeong-eun, e a ex-primeira-dama Lee Hee-ho.

Seul decidiu autorizar a viagem destas duas personalidades e seus acompanhantes porque a Coreia do Norte enviou delegações quando seus respectivos maridos morreram, ambos promotores ativos da reconciliação entre as duas Coreias durante a década passada.

DAS AGÊNCIAS DE NOTÍCIAS

LEAVE A RESPONSE

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *