Willames Costa

Compromisso com a informação

Brasil

Dilma cancela agenda no Rio devido a desabamento de prédios

A presidente Dilma Rousseff cancelou ida ao Rio de Janeiro, na sexta-feira (27), para participar de inauguração da Ponte do Saber, que liga a ilha do Fundão à linha vermelha. O evento foi cancelado devido ao desabamento de três edifícios no centro do Rio na noite de ontem.

Veja galeria de fotos do desabamento
Vídeos mostram cenário caótico após prédios caírem
Envie sua imagem ou relato sobre o desabamento no Rio
Catadores estão entre desaparecidos no Rio; cães auxiliam buscas
Bombeiros que atuaram no Haiti buscam vítimas no Rio
Indícios apontam que desabamento foi causado por dano estrutural
Prefeitura do Rio aponta 19 desaparecidos após desabamentos

Na manhã desta quinta, a presidente telefonou para o governador do Estado, Sérgio Cabral (PMDB), e para o prefeito da cidade, Eduardo Paes (PMDB), para se solidarizar e saber mais detalhes do episódio.

Dilma cumpre agenda hoje no Fórum Social Mundial, em Porto Alegre. Ela deveria seguir para o Rio, mas com o incidente, deve retornar à capital ainda nesta quinta-feira.

Mais cedo, o Ministério da Justiça já havia cancelado evento de assinatura de termo de adesão do Estado ao programa federal de combate ao crack, agendado para a tarde de hoje.

Beth Santos/Divulgação PCRJ
Bombeiros fazem buscas por vítimas em escombros após desabamento de prédios no Rio; cinco morreram
Bombeiros fazem buscas por vítimas em escombros após desabamento de prédios no Rio; cinco morreram

DESABAMENTO

Os três prédios localizados ao lado do Theatro Municipal desabaram por volta das 20h30 de ontem. O teatro não foi atingido, mas seu anexo, onde funciona a bilheteria, sofreu danos por causa dos escombros.

Pessoas que estavam em um edifício próximo usaram a luz de seus telefones celulares para chamar a atenção dos bombeiros e buscar socorro. Com as escadas cheias de escombros, não havia como sair. Um grupo de 30 pessoas foi resgatado.

Zelador de um dos prédios, uma das vítimas disse que o edifício Liberdade estava vazio quando houve o desmoronamento, mas de acordo com o analista de sistemas Fernando Amaro, 29, que estava no quarto andar do Liberdade, um grupo de 30 pessoas participava de um treinamento profissional no imóvel.

Às 21h30 houve um princípio de incêndio. De acordo com bombeiros, havia forte cheiro de gás no local. Jornalistas e curiosos foram afastados. Um cordão de isolamento mantinha todos a cerca de um quarteirão do local do desabamento.

Fiscais da CEG (companhia de gás do Rio) foram chamados para fechar as tubulações de gás, por medida de segurança. A empresa informou que não havia registro de reclamações de vazamento de gás no prédio, nem vistoria agendada. A Light desligou o fornecimento de energia nos arredores para evitar incêndios.

Editoria de Arte/Folhapress


Com a Folha.com

LEAVE A RESPONSE

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *