Willames Costa

Compromisso com a informação

Mundo

Dirigente islâmico é designado novo premiê da Tunísia

O líder islamita Hamadi Jebali, número dois do partido Ennahda, foi designado como novo primeiro-ministro da Tunísia nesta quarta-feira pelo presidente, Moncef Marzouki, em cerimônia no palácio presidencial de Cartago.

Hamadi Jebali, de 62 anos, é formado em engenharia e se tornou uma figura histórica do islã político tunisiano. Ele é o número dois do partido islâmico moderado Ennahda, onde atua como secretário-geral, e passou 15 anos nas prisões do regime de Zine Abidine Ben Ali por “complô e pertencimento a uma organização ilegal”.

Seu nome já era considerado o mais forte para o cargo de chefe de governo desde as eleições de 23 de outubro, onde o Ennahda ganhou claramente.

Fethi Belaid-8.dez.11/France Presse
O novo primeiro-ministro tunisiano, Hamadi Jebali, sessão da recém-eleita Assembleia Constituinte
O novo primeiro-ministro tunisiano, Hamadi Jebali, sessão da recém-eleita Assembleia Constituinte

O novo chefe do executivo, que conta com o apoio da maioria parlamentar –seu partido tem 89 das 217 cadeiras na Assembleia–, deverá formar um novo Executivo que, segundo pessoas próximas ao partido, será composto por membros de sua legenda e de seus dois aliados na Assembleia Constituinte, o Conselho pela República (CPR) e o Atakatol.

De acordo com a Constituição transitória aprovada pela Assembleia no último dia 11, o nome oficial do cargo é presidente do Conselho de Ministros.

A lista de integrantes do governo, que está em discussão, deverá ser submetida à aprovação dos eleitos à Assembleia, que se reunirão em sessão plenária no início da próxima semana.

CARGOS

Uma fonte do Ennahda citada pela agência Efe afirmou que o partido islâmico dirigirá os ministérios do Interior, Relações Exteriores e Justiça no próximo governo.

Segundo a fonte, o novo Executivo contará com 26 pastas, 11 das quais irão para o Congresso Pela República (CPR), que conta com 29 parlamentares, e o Atakatol, que conquistou 20 legisladores nas eleições de 23 de outubro. A lista definitiva deve ser anunciada por Jabali na quinta-feira.

Os três partidos selaram uma aliança parlamentar no dia 21 de novembro e acordaram que a Presidência do Estado recairia no CPR, a liderança da Assembleia no Atakatol e a chefia do governo no Ennahda.

As atribuições destes três primeiros postos parlamentares, assim como a votação da nova Carta Magna e a convocação de eleições estão na Constituição provisória de 26 artigos, aprovada a madrugada de domingo e que abriu as portas à eleição do presidente e do chefe do governo.

DAS AGÊNCIAS DE NOTÍCIAS

LEAVE A RESPONSE

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *