Willames Costa

Compromisso com a informação

Brasil

Discreta, mulher de Haddad ganha espaço na campanha

Discreta e avessa à militância partidária, a dentista e professora universitária Ana Estela Haddad, 45, está assumindo tarefas e ganhando espaço na campanha do marido à Prefeitura de São Paulo.

Casada com Fernando Haddad há 24 anos, ela ocupou cargos na burocracia do governo federal enquanto ele se projetava como ministro da Educação de Lula e Dilma.

Agora, ajuda a formular as promessas do pré-candidato e participa de reuniões semanais que discutem propostas e metas para a saúde.

Segundo aliados, sua influência vai muito além do setor: Haddad a consulta “para tudo”, nas palavras de um ex-auxiliar dele em Brasília. No currículo acadêmico, ela se apresenta como “uma das idealizadoras” do ProUni, vitrine eleitoral do marido.

“Ela tem luz própria. É muito discreta, mas atuante”, comentou o presidente do PT municipal, Antonio Donato.

Apu Gomes – 24.mar.12/Folhapress
Ana Estela, mulher de Fernando Haddad, participa de evento em São Paulo ao lado dele e do presidente do PT, Rui Falcão
Ana Estela, mulher de Fernando Haddad, participa de evento em SP ao lado dele e do presidente do PT, Rui Falcão

Ana Estela não quis dar entrevista. A discrição, incentivada pelo pré-candidato, é obedecida como regra pelos aliados que se reúnem com ela toda segunda-feira. Os coordenadores do programa de saúde, Carlos Neder e Milton Arruda, não quiseram falar.

Um terceiro participante do grupo relatou, sob condição de anonimato, que ela faz críticas duras à gestão do prefeito Gilberto Kassab (PSD), que quase apoiou o marido.

“Ela tem uma visão muito ampla da saúde. Era natural que ajudasse no programa de governo”, disse Haddad, que inicialmente também se recusou a falar sobre a mulher.

Segundo assessores, ele ainda resiste a expor a imagem da família, embora saiba que, como candidato estreante, terá que apresentá-la na propaganda de TV.

Uma rara exceção ocorreu há duas semanas, quando o casal saiu junto numa manhã de sábado para participar de encontro do PT. Num comentário rápido, o ex-ministro exaltou a trajetória comum na academia e no governo.

“Fizemos tudo isso juntos e vamos ganhar a eleição juntos”, disse, para aplausos da militância e, especialmente, das mulheres na plateia.

Criados na comunidade árabe de São Paulo, os dois se conheceram na adolescência no clube Sírio, no Planalto Paulista. Começaram a namorar quando ela tinha 20 e ele, 23. Fizeram mestrado e doutorado e viraram professores da USP -ela na Odontologia, ele na Ciência Política.

A competição por títulos, segundo amigos, é uma brincadeira recorrente do casal. “Ela é livre-docente da USP. Tem um currículo melhor que o meu”, diz Haddad.

O petista relata que a mulher foi convidada para o governo pelo ex-ministro Cristovam Buarque (Educação), ao mesmo tempo em que Guido Mantega o levou para auxiliá-lo no Planejamento.

“Ela nunca trabalhou diretamente comigo, não integrava o alto escalão. Confesso que não me lembro de quem a indicou”, diz Cristovam, hoje senador pelo PDT-DF.

Caso Haddad seja eleito, a professora Maria Salete Corrêa, que orientou Ana Estela na USP, acha que ela vai contrariar a tradição das primeiras-damas de ocupar cargos apenas decorativos. “Se a conheço bem, é impossível. Eu ficaria até decepcionada.”

O petista desconversa sobre o assunto. “Não estamos pensando nisso agora.”

Fonte: Da Folha.com

LEAVE A RESPONSE

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *