Willames Costa

Compromisso com a informação

Economia

Dólar cai com bom humor após notícias positivas da Europa

O dólar caiu cerca de 1% nesta terça-feira, para menos de R$ 1,85, após notícias favoráveis sobre Espanha e Alemanha que diminuíram a tensão sobre a crise da dívida na Europa.

A moeda norte-americana fechou em baixa de 1,04%, a R$ 1,8458. Em relação a uma cesta com as principais moedas, como o euro, o dólar tinha baixa de 0,47% às 17h.

O custo de financiamento de curto prazo do governo da Espanha caiu com força em relação ao registrado há um mês, com alta demanda por títulos de três e seis meses. Operadores afirmaram que os bancos pretendem usar os recursos da linha de três anos a ser oferecida pelo BCE (Banco Central Europeu) para comprar os papéis.

Na Alemanha, a confiança do empresário subiu fortemente em dezembro, contrariando expectativas de declínio e ressaltando a resiliência da maior economia da Europa em meio à crise de dívida soberana.

Segundo o instituto de pesquisa econômica Ifo, o índice de clima de negócios, baseado numa pesquisa com cerca de 7.000 empresas, subiu para 107,2 em dezembro, contra 106,6 em novembro, na maior alta desde fevereiro.

“O cenário internacional acabou ditando um pouco o sentimento mas, ainda assim, não tem grandes novidades a médio e longo prazo”, disse o economista-chefe da CM Capital Markets, Mauricio Nakahodo, em referência aos esforços da Europa para frear a crise da dívida soberana.

MERCADO INTERNO

No Brasil, teve pouca influência sobre o mercado a divulgação dos dados do Banco Central sobre o balanço de pagamentos do país.

Em novembro, o país registrou saldo negativo nas transações de US$ 6,803 bilhões. O resultado de novembro ficou em linha com a previsão de analistas consultados pela Reuters, de US$ 6,8 bilhões, e é o pior resultado mensal desde o início da série histórica do BC, em 1947.

A taxa Ptax, calculada pelo Banco Central, fechou a R$ 1,8508 para venda.

BOLSAS

A forte valorização das Bolsas europeias e americanas contagia as operações no mercado acionário brasileiro. A recuperação do Ibovespa o leva a ter a primeira alta em cinco pregões e a retomar a linha dos 56 mil pontos.

A Europa deu uma trégua no fluxo negativo de notícias, e a agenda americana também está contribuindo para a retomada técnica dos mercados, diante da surpresa positiva com o aumento do número de obras residenciais iniciadas em novembro e de concessão de alvarás para a construção.

Próximo das 17h, o Ibovespa ganhava 2,13%, aos 56.477 pontos, com volume negociado no mercado de R$ 4,15 bilhões.

Destaque para a forte recomposição de preços dos papéis OGX Petróleo ON (5,09%, a R$ 13,42), Vale PNA (2,28%, a R$ 37,64) e Petrobras PN (4,02%, a R$ 21,97).

Em Wall Street, o índice Dow Jones ainda subia 2,70%, o S&P 500 avançava 2,77% e o Nasdaq se apreciava 2,92%.

DA REUTERS, EM SÃO PAULO
DO VALOR

LEAVE A RESPONSE

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *