Willames Costa

Compromisso com a informação

Pernambuco

Em PE, dragagem e revitalização do Rio Beberibe vão custar R$ 63 milhões

Draga começa o trabalho no rio Beberibe nesta quarta (2). (Foto: Katherine Coutinho / G1)

Draga começou o trabalho no rio Beberibe nesta

quarta-feira (2). (Foto: Katherine Coutinho / G1)

As obras de dragagem dos 2,3 quilômetros do Rio Beberibe, da Avenida Olinda, em Olinda, até a foz, no Porto do Recife, começaram nesta quarta-feira (2). Com um investimento de R$ 16,4 milhões, a expectativa é de que os serviços dessa primeira etapa estejam concluídos em um prazo de dez meses e beneficie comunidades como Ilha do Maruim, Cajueiro, Campina do Barreto, Varadouro, entre outras no Recife e em Olinda.

A última vez que o rio passou por uma obra de dragagem foi há 30 anos, em 1982. Os trabalhos vão começar mais próximos à foz e subir pelo curso do Beberibe. O material retirado do leito do rio já tem destino certo. “Uma parte vai para aterros sanitários e outra vai para um ‘bota fora’ a seis milhas náuticas daqui, em duas embarcações, obedecendo aos estudos ambientais”, afirma o governador Eduardo Campos.

A dragagem do rio faz parte de uma série de intervenções que devem ser feitas ao longo dos 13 quilômetros mais prejudicados do Beberibe, trecho que vai da BR-101 até a foz, totalizando investimentos de R$ 63 milhões. “Com a dragagem, alguns trechos do vão chegar a ter 80 metros de largura. Em alguns pontos, o rio mede atualmente apenas 1,5 metro e vai subir para quatro metros, por exemplo. Com isso, vamos precisar refazer pontes, pontilhões e passarelas”, explica o governador.

Além de ser alargado, o rio vai ser cavado para permitir a navegação. “Essa obra se une ao projeto de transporte fluvial. A profundidade da foz até a ponte da Avenida Olinda deve ser de 2,3 metros. Com isso, esperamos ter a primeira rota de transporte náutico vindo de Dois Irmãos até próximo à Escola de Aprendizes Marinheiros”, detalha o secretário de Recursos Hídricos e Elétricos, Almir Cirilo.

Eduardo Campos explicou detalhes do projeto. (Foto: Katherine Coutinho / G1)
Eduardo Campos explicou detalhes do projeto.
(Foto: Katherine Coutinho / G1)

O projeto se integra a outros, como o Prometrópole e ações de prefeituras, tanto do Recife quanto de Olinda. “No projeto, temos prevista também uma ciclovia, que vem desde a BR-101 até Olinda, para que se possa humanizar a margem do rio. Em alguns trechos, vamos ter também vias locais”, conta Eduardo Campos.

Cerca de 400 famílias devem ser transferidas das margens do rio para outros locais, que já estão sendo disponibilizados, segundo o Governo do Estado. Com isso, as margens do rio devem ser recuperadas. “Vamos preservar também os locais de mata ciliar, mas precisamos contar com a ajuda da população, para que não se jogue mais material sólido [lixo] no rio, para ajudar a preservá-lo”, defende o secretário.

Moradora do bairro de Cajueiro, no Recife, Eunice Ribeiro é uma das que espera ver o resultado das obras. “Quando chove, a gente fica morrendo de medo. Eu tive que sair da minha casa, perdi todos os meus móveis e não quero perder a minha vida. Espero que pare realmente de encher, a gente merece ouvir o barulho de chuva no telhado e não ficar com medo”, diz Eunice.

O prazo total para a execução de todas as obras do projeto do rio Beberibe é de 25 meses, a partir de maio de 2012.

Fonte: Do G1 PE

LEAVE A RESPONSE

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *