Willames Costa

Compromisso com a informação

Variedades

Funasa beneficia mais de 15 mil agricultores na convivência com a seca em Pernambuco

Jovelina Maria da Conceição 20140121_085358

As perdas com a seca dos últimos anos que fizeram em 2013, mais de 65 municípios pernambucanos decretarem situação de emergência, fazem parte da realidade do homem do campo que vive no cenário tórrido de um período longo de estiagem. Por isso, dentro do plano de universalização do acesso à água do governo federal, através do programa Água Para Todos, a Fundação Nacional de Saúde (Funasa), órgão executivo do Ministério da Saúde, tem a meta de instalar até junho deste ano, 3 mil cisternas de polietileno, beneficiando mais de 15 mil agricultores de 14 cidades do interior do Estado. Entre as cidades atendidas estão: Chã Grande, Gravatá, Passira, Frei Miguelinho, Taquaritinga do Norte, Vertente do Lério, Calçado, Jupi, Capoeiras, Cabrobó, Salgueiro, Mirandiba, Carnaubeira da Penha e Brejão. Até o momento, mais de 1500 cisternas já estão em funcionamento na casa do agricultor.

Os reservatórios, fabricados pela Acqualimp, captam a água da chuva e permitem o armazenamento de 16 mil litros, garantindo condições para uma família de quatro a cinco pessoas se manter por até nove meses de estiagem, cenário típico do semiárido nordestino. “Isso foi uma vitória muito grande pra gente. O povo da zona rural é esquecido e as dificuldades são grandes. A gente não tinha nem onde guardar água da chuva e pra beber só de açude ou barreiro, que pra pegar tinha que andar mais de uma hora. Hoje é essa fartura”, comemorou a agricultora Jovelina Maria da Conceição, 78, moradora do Sítio Riachão, zona rural de Chã Grande.

O material utilizado na fabricação dos reservatórios é adequado à região. “A resina de polietileno somente pode fundir a uma temperatura de 147o C, sendo que na região a temperatura máxima pode oscilar em torno de 50o C em períodos de clima mais severo, o que desmistifica a informação incorreta de que as cisternas derretem no calor do sertão. Além disso, essa é uma tecnologia consolidada internacionalmente e utilizada há mais de duas décadas em países com temperaturas semelhantes ou até mais críticas que as encontradas no Nordeste brasileiro”, explicou Amauri Ramos, diretor da Acqualimp, fabricante dos reservatórios.

EM TEMPO Em Pernambuco (do Agreste ao Sertão), 39.006 mil famílias estão sendo beneficiadas com a instalação das cisternas de polietileno, é que além da Funasa, os reservatórios também estão sendo entregues pelo Departamento Nacional de Obras Contra as Secas (DNOCS) e Companhia de Desenvolvimento dos Vales do São Francisco e do Parnaíba (Codevasf).

 

Carlos Maciel

FSB COMUNICAÇÕES

LEAVE A RESPONSE

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *