Willames Costa

Compromisso com a informação

Destaque

Funcionários da Celpe cruzam os braços em Petrolina

Até o fim da tarde desta quarta-feira (14), funcionários da Companhia Energética de Pernambuco (Celpe) em Petrolina, permanecem com as atividades paralisadas, seguindo um movimento de 48 horas que acontece desde essa terça (13) em todo o Estado. No município sertanejo a manifestação dos eletricitários acontece na praça Dom Malan, no centro. Além da reposição salarial, os funcionários reivindicam melhores condições de trabalho. Apenas alguns serviços considerados essenciais são disponibilizados para a população.

“Começamos a discutir essa questão salarial em novembro e a empresa foi adiando. Quando chega agora em dezembro faz uma  proposta que não contempla o que pedimos. Nossas perdas estavam lançadas em 14% e é isso que queremos de reposição. Não estamos satisfeitos com a maneira como a empresa está sendo administrada. Ou seja, arrecada milhões de reais e trata seus funcionários com desrespeito. Os trabalhadores vivem pressionados para atingir metas inalcançáveis, sofrem assédio moral no dia a dia do trabalho”, pontua o diretor regional do Sindicato dos Urbanitários de Pernambuco, Roberto Palma.

O diretor regional faz uma avaliação positiva do movimento. “Nunca vi movimento forte como está sendo esse ano. Claro que há uma maior consciência das pessoas de que os problemas só serão resolvidos se todos unirem forças. Tive a informação de que 90% dos funcionários aderiram à paralisação. Vamos ficar nesse movimento até às cinco da tarde e e esperamos que a empresa faça uma proposta que contemple a categoria, caso isso não aconteça, não se descarta a possibilidade de uma paralisação por tempo indeterminado”, adianta Palma.

Em nota oficial, a Companhia Energética de Pernambuco (Celpe) informou que foram iniciadas no dia 20 de outubro as negociações com o Sindicato dos Urbanitários de Pernambuco (Sindurb), visando à celebração do Acordo Coletivo de Trabalho 2011/2012. Até o momento, já foram realizadas seis reuniões. Na última reunião, realizada dia 7 de dezembro, a empresa manteve a proposta de reajuste salarial de 7,00% (0,34% acima do Índice Nacional de Preços ao Consumidor – INPC) para todos os colaboradores. A companhia disse ainda que está mantendo todos os esforços para que os clientes não sejam afetados por eventuais manifestações do movimento sindical que impeçam o funcionamento dos serviços da empresa.

Com Do NE10

LEAVE A RESPONSE

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *