Willames Costa

Compromisso com a informação

Brasil

Greve de ônibus prejudica 2,5 milhões em 10 cidades do RJ

A paralisação de motoristas e cobradores de ônibus atinge dez municípios do Rio de Janeiro, nesta sexta-feira. Segundo a Fetranspor (Federação das Empresas de Transporte de Passageiros do Estado), a greve prejudica cerca de 2,5 milhões de passageiros.

Greve de ônibus prejudica 1,5 milhão de passageiros no Rio

Até as 9h40, o Sindicato de Trabalhadores do Transporte Rodoviário confirmou a adesão da paralisação desde a noite de ontem (29) dos municípios de Belford Roxo, Nova Iguaçu, São João de Meriti, Mesquita e Nilópolis, na Baixada Fluminense. Já Niterói, São Gonçalo, Itaboraí, Maricá e Tanguá, na região metropolitana do Rio, permanecem desde anteontem em greve.

De acordo com a Fetraspor, a Justiça exige que 40% da frota de ônibus circule em Niterói. A multa pelo descumprimento é de R$ 100 mil por dia.

Na Baixada Fluminense, a Justiça decretou que 70% da frota deve circular em horários de pico (com maior movimento). A multa pelo descumprimento na região é de R$ 300 mil por dia.

Mais cedo, houve tumulto em Nova Iguaçu (Baixada Fluminense). Policiais militares precisaram conter manifestantes com bombas de efeito moral e gás de pimenta, no terminal de ônibus da cidade. O policiamento foi reforçado na região. Não há informações de feridos.

A paralisação também prejudicou motoristas em Niterói, onde houve congestionamento. Para aliviar o trânsito, a prefeitura decidiu liberar as pistas exclusivas de ônibus para todos os veículos.

Na noite de ontem, as barcas registraram aumento de 19% na média diária de passageiros na linha Charitas-Praça 15. Três viagens extras foram realizadas para suprir a demanda.

Os trabalhadores querem reajuste salarial de 16%, fim da dupla função (de motorista e cobrador) e do posto de motorista júnior, e reajuste de 50% no valor da cesta básica.

A Fetranspor afirma que as empresas de ônibus ofereceram 10% de aumento e 25% de reajuste da cesta básica, mas a proposta não foi aceita pela categoria.

Fonte: Da Folha.com

LEAVE A RESPONSE

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *