Willames Costa

Compromisso com a informação

Economia

Inadimplência do comércio varejista volta a crescer em abril, diz CNDL

Após registrar em março a primeira queda em 13 meses, a taxa de inadimplência do comércio varejista voltou a subir em abril, quando avançou 4,45% sobre o mesmo mês de 2011, segundo informou nesta quinta-feira (10) a Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) em conjunto com o Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil).

Segundo a CNDL, a alta da inadimplência em abril é resultado do “cenário macroeconômico mais favorável ao consumo”, com reduções de tributos para itens industrializados e “recuperação mais forte do crescimento interno”, que se ampara, em sua visão, em “políticas expansionistas, como a redução dos juros básicos”.

“Vale apontar também que o resultado negativo da inadimplência em março, que interrompeu longo ciclo de altas, foi artificialmente alterado por conta do efeito calendário, uma vez que em março de 2012 houve mais dias úteis do que março de 2011 (quando foi comemorado o carnaval)”, avaliou a CNDL. Nos quatro primeiros meses deste ano, a inadimplência registrou, entretanto, uma queda de 1,5%.

Consultas e cancelamentos de registros
A CNDL e o SPC Brasil disseram ainda que o número de consultas para compras a prazo e para pagamentos com cheques (indicador relacionado com o volume de vendas) subiu 3,02% em abril de 2012, na comparação com o igual período do ano anterior. Este é o décimo terceiro mês de alta seguida do indicador.

Os dados da CNDL/SPC Brasil mostram ainda que houve um aumento de 6,04% no cancelamento dos registros (de inadimplência) em abril, contra o mesmo mês de 2011.

“Houve um aumento de inadimplência pelo aumento do volume de transações, e é natural que haja isso, mas também está havendo recuperação de crédito (cancelamentos de registros). Então, o estoque de inadimplentes não teve um aumento muito grande. Essa é a notícia boa”, declarou o presidente da CNDL, Roque Pellizzaro Junior.

Metodologia
A CNDL lembra que sua base de dados incorpora os grandes e pequenos varejistas, mas não inclui as operações com cartões de crédito. As transações com cartões de crédito absorvem cerca de 20% do volume total de operações, segundo estimativas da entidade. Os dados da CNDL envolvem, porém, a consulta em mais de 150 milhões cadastros de pessoa física (CPF) de consumidores em 800 mil pontos de vendas credenciados.

Parceria com o BB
A CNDL também informou que foi fechada uma parceria com o Banco do Brasil para oferecer linhas de crédito, produtos e serviços financeiros da instituição bancária a lojistas de micro, pequeno e médio porte brasileiros, com o objetivo de “viabilizar o mais rápido possível a aplicação das novas taxas e juros praticados pelo mercado”.

O Banco do Brasil buscará ofertar, com o auxílio da CNDL, novos produtos para o micro, pequeno e médio empresário do varejo. Segundo a entidade, o primeiro deles é uma linha de crédito específica que já estará disponível para este Dia das Mães, a segunda melhor data do comércio no ano, perdendo apenas para o Natal.

A linha de crédito será de antecipação de recebíveis (pré-datados e duplicatas). A taxa de juros para este tipo de operação, geralmente de 4% a 5% ao mês, recuará para cerca de 1% ao mês, informou Roque Pellizzaro Junior, da CNDL. A linha de crédito permanecerá disponível somente durante o mês de maio.

Um terceiro produto discutido, acrescentou a CNDL, é uma linha específica de crédito que funcionaria como uma portabilidade bancária fácil, empréstimo bancário que seria tomado pelo cliente no banco e que seria utilizado para quitar uma dívida mais cara adquirida com outra instituição financeira, reduzindo a burocracia e o tempo de migração de uma dívida de um banco para o outro.

Fonte: Do G1, em Brasília

LEAVE A RESPONSE

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *