Willames Costa

Compromisso com a informação

Mundo

Indiana deixa a casa do marido por falta de privada e ganha prêmio

Organização não-governamental anunciou recompensa de US$ 10 mil a Anita Narre por sua decisão ‘corajosa’ de forçar o marido a instalar vaso sanitário.

BBC

A indiana Anita Narre (Foto: Cortesia Sulabh International)
A indiana Anita Narre
(Foto: Cortesia Sulabh International)

Após sair de casa, uma indiana recém-casada venceu sua batalha para ter uma privada instalada na casa de seu marido, chegando a ganhar uma recompensa de uma ONG pela iniciativa.

Anita Narre, que mora no estado de Madhya Pradesh, deixou a casa de seu marido, Shivram, apenas dois dias depois de casar, em maio do ano passado, devido à ausência de um vaso sanitário na residência.

Ela voltou para casa depois de oito dias, quando Shivram, que vive de trabalhos temporários, construiu uma privada usado suas economias e contando com a ajuda de vizinhos.

A organização não-governamental (ONG) Sulabh International anunciou uma recompensa de US$ 10 mil a Anita por sua decisão ‘corajosa’ de forçar o marido a instalar um vaso sanitário.

Mais de 500 milhões de indianos ainda não têm acesso a saneamento básico. O problema é mais grave nas áreas rurais, afetando principalmente as mulheres.

Shivram disse que não possuía uma privada em casa devido à falta de dinheiro.

Ele admite que sua mulher voltou para casa somente depois que ele construiu o vaso, usando suas economias e ‘com alguma ajuda do conselho do vilarejo’.

‘Não é bom para as mulheres sair à rua para defecar. É por isso que toda casa deve ter uma privada’, disse Anita à BBC.

Alguns estados indianos, como Chhattisgarh, promulgaram leis que obrigam os detentores de cargos eletivos a construir vasos sanitários em suas casas até um ano depois de ser eleitos. Aqueles que não cumprirem as normas correm o risco de ser afastados.

As leis fazem parte de uma campanha de ‘saneamento para todos’ implementada pelo governo indiano, que visa erradicar a prática de defecação ao ar livre, comum nas áreas rurais e urbanas pobres do país.

Verbas especiais foram disponibilizadas para que os cidadãos construam vasos sanitários, promovendo a higiene e diminuindo a prática de coletar fezes, algo realizado principalmente pelos integrantes das castas consideradas inferiores.

Da BBC

LEAVE A RESPONSE

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *