Willames Costa

Compromisso com a informação

Especiais

Lula deixa hospital após nova sessão de radioterapia

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva deixou por volta das 13h50 desta sexta-feira (6) o Hospital Sírio-Libanês, em São Paulo, após a terceira sessão de radioterapia. Ele trata um câncer na laringe, diagnosticado em outubro.

Além de um trabalho com o fonoaudiólogo, Lula recebeu hoje um pouco de soro para hidratação após a radioterapia. A próxima sessão acontece na segunda-feira.

Veja galeria de fotos de Lula
Veja galeria de imagens de Lula em tratamento
Lula aumenta força em SP, e Serra tem maior rejeição, diz Datafolha

O ex-presidente ainda recebeu a visita do líder da bancada do PT na Câmara, deputado Paulo Teixeira (SP).

“Ele comentou uma notícia preocupante sobre o deficit da Previdência”, disse o deputado. O jornal “Valor Econômico” informou que o deficit da Previdência dos servidores públicos terminou o ano em R$ 56 bilhões, um aumento de 10%.

Segundo Teixeira, Lula falou sobre a situação da favela do Moinho, no centro de São Paulo, que foi atingida por um incêndio no final de dezembro. “Ele incentivou uma solução para os moradores da favela.”

TRATAMENTO

Em até sete semanas, o ex-presidente deverá receber entre 30 e 35 sessões de radioterapia, que acontecerão de segunda à sexta-feira. Ele não deve ficar internado durante o período.

A radioterapia pode ser a fase final de seu tratamento contra a doença. A cirurgia está descartada pelos médicos.

Na quarta-feira, primeiro dia da nova fase, Lula ficou no hospital por seis horas porque recebeu uma dose de quimioterápicos.

O medicamento, que será aplicado uma vez por semana, tem a função de potencializar o efeito da radioterapia.

Em dezembro, o ex-presidente encerrou o ciclo da quimioterapia principal.

Desde o início do tratamento em outubro, o tumor na laringe, que tinha três centímetros de diâmetro, teve uma redução de 75%, de acordo com os médicos.

No período do tratamento, o ex-presidente virá todos os dias de sua casa em São Bernardo do Campo, que fica distante 22 quilômetros do hospital.

O diagnóstico da doença foi feito em outubro passado, após o ex-presidente ter reclamado de rouquidão por algumas semanas. Dias antes, ele tinha comemorado 66 anos.

  Editoria de Arte/Folhapress  

 

Com a Folha.com

LEAVE A RESPONSE

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *