Willames Costa

Compromisso com a informação

Esporte

Mano recupera prestígio com Marin após vitórias do Brasil

Desde a chegada de José Maria Marin à presidência da CBF, Mano Menezes passou a ter em seu chefe um crítico em potencial. Não demorou muito para que o mandatário da confederação e o técnico criassem rusgas entre si, especialmente quando Marin exigiu ver a lista de convocados antes da divulgação.

Rob Carr – 30.mai.12/Getty Images/France Presse
O técnico Mano Menezes comanda a seleção brasileira no amistoso contra os Estados Unidos
O técnico Mano Menezes comanda a seleção brasileira no amistoso contra os Estados Unidos, em Washington

Além disso, Marin colocou a medalha de ouro nos Jogos Olímpicos como prioridade da sua gestão. Na premiação do Campeonato Paulista até pediu para Neymar a conquista inédita. Isso colocou pressão no trabalho de Mano.

Mas nesses dois amistosos preparatórios para os Jogos de Londres, duas vitórias –3 a 1 sobre a Dinamarca e 4 a 1 em cima dos Estados Unidos–, o treinador vai reconquistando o respeito sobre seu trabalho.

“A gente tinha muita confiança na seleção dos mais jovens, já que desde a primeira convocação eles estão sendo chamados. Para que viessem a enfrentar adversários em nível de preparação mais avançado em pé de igualdade. E a resposta foi muito boa. Alegria que vem com o momento da confiança de estarem se sentido capazes de participar dessa transformação do Brasil”, analisou Mano.

EUA x Brasil

 Ver em tamanho maior »

Jason Reed/Reuters

AnteriorPróxima

Neymar salta após fazer gol no amistoso contra os Estados Unidos

Só que ao mesmo tempo em que elogia Mano cobra o grupo.

“Penso que a gente precisa crescer um pouco a cada jogo e que a seleção brasileira esteve melhor hoje do que contra a Dinamarca. Sofremos um pouco com bola parada no fim do jogo, precisamos ter uma pequena correção para isso. A gente vai aprendendo, corrigindo e melhorando e, assim, aumentando o entrosamento da seleção”, explicou.

O comandante também projetou o jogo com o México como sendo mais difícil do que as duas vitórias até aqui.

“Vamos ter um jogo muito duro como tivemos. Eles têm equipe madura, bem trabalhada. O Brasil está aquém, oscilando. Não oscilamos tanto nesse dois jogos, mas pode acontecer. Trabalhar para que isso não aconteça contra o México. Hoje tivemos alguns jogadores desgastados pela sequência, tem outros jogadores que precisam ser vistos, mas não quero perder essa base. Creio que a dificuldade será maior”, finalizou Mano.

O Brasil volta a campo no próximo domingo, novamente em território americano, em Dallas, mas para enfrentar o México. A equipe de Mano Menezes encerra sua temporada de amistosos preparatórios para as Olimpíadas no dia 9 de junho, quando jogará com a Argentina em Nova Jersey, também nos Estados Unidos.

Isto é José Maria Marín

 Ver em tamanho maior »

Ricardo Moraes/Reuters

AnteriorPróxima

José Maria Marin, presidente da CBF, em coletiva de imprensa, no Rio Leia mais

Fonte: Da Folha.com

LEAVE A RESPONSE

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *