Willames Costa

Compromisso com a informação

Bahia

Milícia faz matança em Salvador, diz polícia

A greve de PMs na Bahia abriu terreno para milícias praticarem uma matança na periferia de Salvador, informa reportagem de Graciliano RochaRogério Pagnan e Fábio Guibu, publicada na Folha deste sábado .

Repórter-fotográfico registra greve na Bahia
Eliane Cantanhêde: Espera-se firmeza e rapidez do governo
Com greve está difícil vender, diz ambulante no Pelourinho
Ministro descarta chance de ‘efeito dominó’ em greves de PMs
PM da Bahia vai cortar ponto e processar policiais grevistas
Homicídios chegam a 155 na região de Salvador durante greve
Leitor critica postura do atual governo frente à greve da PM baiana

Os alvos são usuários de drogas, moradores de rua e desafetos dos grupos armados que detêm o controle, de fato, de áreas mais violentas.

As milícias baianas são grupos paramilitares bancados por comerciantes para manter a ordem na periferia.

A inteligência da Polícia Civil já detectou que os grupos operam sob proteção de policiais em áreas como Subúrbio Ferroviário, aglomerado de bairros e favelas vizinho à baía de Todos os Santos.

Moacyr Lopes Junior – 10.fev.2012/Folhapress
Helicóptero do Exército faz patrulhamento aéreo na orla de Salvador, após início da greve de policiais militares
Helicóptero do Exército faz patrulhamento aéreo na orla de Salvador, após início da greve de policiais militares

“Esses grupos estão se aproveitando da greve, que reduziu o policiamento, para ‘limpar’ a área e matar quem estava incomodando”, disse à Folha o diretor do Departamento de Homicídios e Proteção a Pessoa, Arthur Gallas.

Segundo ele, há evidências de que milicianos e traficantes de drogas tenham assassinado pelo menos 38 pessoas desde o início da greve da PM, no dia 31 de janeiro.

Até ontem, foram 157 homicídios em Salvador e na região metropolitana.

Com a Folha.com

LEAVE A RESPONSE

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *