Willames Costa

Compromisso com a informação

Brasil Destaque

Minas Gerais descumpre promessas antienchente

O governo de Minas Gerais, Estado que já registra dez mortes pelas chuvas neste ano, não cumpriu promessas de 2011 para combater enchentes.

Em janeiro do ano passado, o governador Antonio Anastasia (PSDB) viajou para áreas alagadas em Pouso Alegre, Itajubá e Santa Rita do Sapucaí e prometeu barragens para os rios da região. Um ano depois, elas ainda não existem.

Em Pouso Alegre, uma das obras prometidas, um dique, está sendo concluída com recursos do PAC (da União) e da prefeitura. Não há dinheiro do Estado, diz o município.

A promessa de barragens já fora feita em 2007 pelo antecessor de Anastasia, Aécio Neves (PSDB), hoje senador.

Desde o início do período chuvoso, em outubro, 12 pessoas morreram em Minas -dez em janeiro. Ontem, um homem e uma mulher morreram soterrados numa casa em Governador Valadares.

Já em Belo Horizonte, o governo mineiro -com Aécio e Anastasia- investiu R$ 205 milhões em obras contra enchentes no ribeirão Arrudas.

O Estado põe recursos (12% do total) e administra a obra, financiada por União (75%), BH e Contagem (6% cada).

A Prefeitura de BH, gerida pelo aliado Marcio Lacerda (PSB), e o Estado se juntaram para fazer estudos hidrológicos e hidráulicos para obras que possam minimizar inundações nas bacias dos córregos Pampulha e Cachoerinha.

Lalo de Almeida/Folhapress
Bairro de Governador Valadares (MG), alagado pelas cheia do rio Doce, que continua subindo devido as fortes chuvas na região
Bairro de Governador Valadares (MG), alagado pelas cheia do rio Doce, que continua subindo devido as fortes chuvas na região

OUTRO LADO

O governo de Minas diz que o projeto para contenção de cheias no sul do Estado está em andamento, mas ainda falta a licença ambiental.

“Tão logo seja liberada a licença ambiental, será instaurado o processo licitatório para a contratação das obras com prazo de execução de 24 meses”, afirmou, em nota.

O governo diz que em outubro foi assinada ordem de serviço para início das obras de barragens em Pouso Alegre -incluindo a construção do dique-, com investimento de R$ 4,8 milhões. As obras devem ser concluídas até abril.

Afirma ainda que o DER (Departamento de Estradas de Rodagem) de Minas “concluiu o projeto da obra e o próximo passo é a abertura do processo de licitação”.

A assessoria de Aécio diz que a posição do senador é a mesma do governo mineiro.

Editoria de Arte/Folhapress
Os fenômenos que causam chuva no país
Os fenômenos que causam chuva no país

Com a Folha.com

LEAVE A RESPONSE

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *