Willames Costa

Compromisso com a informação

Brasil

Não pedimos para botar ouro nos banheiros dos estádios, diz Fifa

Pelo orçamento da Copa-2014, os estádios brasileiros custarão mais do que o dobro dos sul-africanos no Mundial-2010.

Confira o especial da Copa-2014
Secretário da Fifa apoia meia-entrada só para idosos em 2014
Veja fotos das obras do Itaquerão, estádio da abertura do Mundial
Veja fotos das obras no Maracanã, estádio da final da Copa

O fato não se justifica pela diferença no número de arenas, 12 contra 10, já que os valores brasileiros atingem valores de US$ 3,9 bilhões (R$ 7 bilhões) contra US$ 1,6 bilhão (R$ 2,85 bilhões) dos africanos. Mas o secretário-geral da Fifa, Jérôme Valcke, nega ter feito exigências extraordinárias ao país em relação à Copa-2010 que justifiquem um aumento desse tamanho nos gastos com os locais dos jogos.

Segundo ele, as demandas da entidade não cresceram em relação ao evento anterior. Ressalta que estádios de Copa do Mundo são estádios de Copa do Mundo, sem grandes diferenças entre si. E afirmou que, se há diferença nos orçamentos, os custos do Brasil e a intenção dos organizadores do Brasil de fazerem estádios mais sofisticados são a explicação para isso.

Valcke não se mostra preocupado em não ter prontos os estádios na estreia da Copa. Acredita que deve ter as arenas prontas até dezembro de 2013

Folha- Em comparação entre África do Sul e Brasil, houve um aumento dos custos de estádios que mais do que dobrou. O que o senhor acha que aconteceu? As exigências da Fifa aumentaram ou foi o meio-ambiente do Brasil que elevou os custos?

Jérôme Valcke – Definitivamente, não foi a Fifa. Não é porque trabalho na Fifa que estou defendendo para não ser criticada. Mas não vem da Fifa. O nível de exigências que pedimos tem a ver com o período em que vivemos. Mas não estamos pedindo mais, mais especificidades no estádios do que na África do Sul. No final, um estádio é um estádio. Estádio, campo, salas, salas técnicas… Não pedimos para botar ouro nos banheiros, ou diamantes nas salas. Não pedimos um esquema especial de som ou vídeo diferente da África do Sul. De novo, um estádio de Copa do Mundo é um estádio de Copa do Mundo. É verdade que quando você vai usar a TV HD pode precisar de mais luz. Mas já fizemos na África do Sul. Infelizmente no Brasil, o custo de concreto, de aço, cimento é mais caro e, quando paga em dólar, quando a cotação não é boa, embora a do Brasil não seja ruim. Depende da qualidade do estádio que você quer construir. Se quer um telhado especial, definitivamente, é mais caro do que sem telhado. A Fifa não aumentou o número de requerimentos da África do Sul que justifique que os estádios custem muito mais do que África do Sul. São várias, várias coisas, mas não é a Fifa.

Fabrice Coffrini-21.out.11/France Presse
O secretário- geral Jérôme Valcke participa de entrevista coletiva na sede da Fifa, em Zurique
O secretário- geral Jérôme Valcke participa de entrevista coletiva na sede da Fifa, em Zurique

Os estádios serão mais sofisticados do que na África do Sul?

Os estádios da África do Sul são bem legais. Vi designs de Brasília. Com certeza, no Maracanã, é uma quantidade imensa de trabalho. Ninguém deve achar que é um estádio fácil de ser reconstruído. A maioria [dos estádios] não é só usada para jogos. Pelo que vi das fotos e designs dos estádios no Rio, há centros comerciais, e outras facilidades, para recuperar os custos mais rápido. É um centro de vida, não só de esporte. Os estádios, baseados nos designs, são bastante impressionantes.

Agora que os senhores estão com a tabela pronta estão preocupados com o andamento das obras dos estádios? Ou estão satisfeitos?

Para estar satisfeito, será no dia depois da final. Quando tudo acabar. Eu não posso estar satisfeito antes, o que faz sentido. Definitivamente, há uma preocupação no nível de preparação falando da Copa das Confederações. Por isso, reconhecemos que quatro estádios estão ok, mas há potencial para adicionar dois em junho de 2012 [data para decidir se Recife e Salvador entram]. Se não fazemos a tabela com quatro jogos. Para a Copa, não há muito preocupação. Alguns estádios vão ser entregues um pouco tarde, mas serão antes do primeiro jogo da Copa. Um dos maiores desafios é o Maracanã porque há um grande nível de trabalho. Não acho que exista nenhum estádio que, hoje, tenho medo. Nós esperamos que não sejam entregues tão tarde, pelo menos em dezembro de 2013, para que possamos fazer um teste. Não estou preocupado com estádios. Vocês sempre terão os estádios. Não é esse o ponto. O ponto é ter certeza de que em volta dos estádios esteja pronto.

Rafael Andrade-17.out.11/Folhapress
Obras no Maracanã; clique na foto e veja mais imagens do estádio
Obras no Maracanã; clique na foto e veja mais imagens do estádio

Com a Folha.com

LEAVE A RESPONSE

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *